Notícias sobre o AGHU Notícias sobre o AGHU

Voltar

Ebserh lança plano para implantação de sistemas na rede

Autonomia

Ebserh lança plano para implantação de sistemas na rede

A fases serão realizadas nos próprios hospitais e o monitoramento e controle serão feitos pela sede

Brasília (DF) - A Ebserh aprovou o Plano de Implantação de Sistemas de Informação da estatal. A iniciativa vem de encontro às novas necessidades dos hospitais filiados e também ao amadurecimento dos sistemas de informação disponibilizados pela empresa. A nova metodologia abrange projetos de implantação de qualquer sistema disponibilizado pela Ebserh como, por exemplo o Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU), o Sistema de Informações Gerenciais (SIG), o Sistema de Acompanhamento de Projetos Especializados (Sape), entre outros.

O resultado é fruto de discussões de um grupo de trabalho composto por seis representantes de hospitais universitários e representantes da DGPTI da sede.  O novo processo conta com sete fases: preparação, diagnóstico, pré-implantação, simulação de implantação, implantação, operação assistida e pós-implantação. 

“O principal objetivo é dar autonomia de implantação de sistemas para o hospital, sem que este dependa da presença física da equipe da sede. A mudança visa acelerar a informatização da rede Ebserh, uma vez que, todo o conhecimento pode ser encontrado de forma didática nos portais de sistemas, na plataforma de educação à distância e nos nossos laboratórios virtuais”, ressaltou o coordenador de Desenvolvimento de Sistemas de Informações da Ebserh, Bruno Souza.

Para iniciar a implantação dos sistemas, a filial deve cumprir alguns pré-requisitos como: a constituição do Núcleo de Informática em Saúde (NIS), com a responsabilidade de liderar implantações e treinar unidades; e a criação da equipe de Suporte e Implantação e Sustentação de Sistemas (SIS), composta por profissionais de saúde e administrativos, que deve estar presente em tempo integral na atividade do sistema.

“A grande vantagem está na formação das equipes multidisciplinares, trazendo conceitos internacionais de países que já passaram pela fase de transformação digital de seus hospitais”, destacou Bruno.

Na primeira fase, a sede da estatal apresenta ao hospital universitário as metodologias para desenvolvimento dos sistemas, implantação, sustentação e gestão.  Em seguida, os responsáveis pelo sistema estudam a documentação, analisam os processos do hospital universitário que são afetados pelo novo sistema, definem dados-base, elaboram projetos para implantação e sensibilização da equipe impactada com a mudança, montam treinamentos e capacitações, simulam o procedimento, identificam erros, colocam em produção, reproduzem o conhecimento e monitoram indicadores.

Coordenadoria de Comunicação Social