Notícias Notícias

Voltar

Pesquisa aponta que 98,1% dos usuários indicariam os hospitais da Rede Ebserh

SATISFAÇÃO

Pesquisa aponta que 98,1% dos usuários indicariam os hospitais da Rede Ebserh

Estudo conduzido pela Ouvidoria questionou 12.534 pessoas entre 22 de junho e 1º de julho deste ano.

 

 Uma pesquisa de satisfação realizada com usuários da Rede Ebserh aponta que 98,1% dos entrevistados indicariam o hospital universitário federal em que foram atendidos a familiares e amigos. O resultado foi apresentado nesta quarta-feira, 30, ao Conselho de Administração da Rede Ebserh e pode ser acessado no portal da instituição. Outro ponto positivo destacado na pesquisa é o nível de satisfação do usuário, registrado em 92,3%, sendo que 62% apontaram estar satisfeitos e 30,3% muito satisfeitos.

Conduzido pela Ouvidoria-geral da Rede Ebserh, a pesquisa ouviu 12.534 pessoas entre 22 de junho e 1º de julho deste ano. A ouvidora-geral, Savana Dantas, explicou as mudanças ocorridas em relação às edições anteriores. “Esta é a primeira vez em que aplicamos esse novo questionário, que incluiu avaliação de novos indicadores como refeição, sinalização e acessibilidade, além da disposição dos resultados em painéis, acessíveis tanto ao público externo quanto aos gestores, em tempo real e de maneira mais interativa. Também foi o primeiro ano em que 100% dos hospitais da rede participaram da pesquisa”, ressaltou a ouvidora.

A Pesquisa de Satisfação do Usuário é aplicada desde 2014, sendo responsável direta por mudanças em diversos hospitais da rede, de forma a atender melhor pacientes, acompanhantes, trabalhadores e comunidade acadêmica, conforme aponta levantamento realizado pela Ouvidoria-geral. Em relação à estrutura física dos espaços de recepção, por exemplo, podem ser citadas reformas, substituição de mobiliários como cadeiras, poltronas e macas, instalação de bebedouros, televisões, aparelhos de ar-condicionado e readequação da iluminação, tudo isso considerando os resultados apontados nas pesquisas.

Na questão da higiene, limpeza e organização, por exemplo, foram realizados treinamentos com as equipes de limpeza, implantado o Caderno de Boas Práticas em Hotelaria Hospitalar (documento que orienta as atividades de hotelaria para alcançar a excelência), além de outras ações em vários hospitais. No atendimento da recepção e da equipe de saúde podem ser citadas capacitações com as equipes próprias e terceirizadas, ações junto aos Núcleos de Humanização e ciclos de rodas de conversas e palestras. Sobre o tempo de espera pelo atendimento, diversas unidades passaram por reestruturação do funcionamento do Núcleo de Interno de Regulação, reajustes em escala, remanejamento de pessoal, implantação de triagem dos pacientes, além de outros.

“A pesquisa é uma iniciativa interna, construída pelos próprios ouvidores em parceria com estatísticos e equipes de TI da rede e, por isso, está sempre aberta a melhorias. Temos a liberdade de construir o modelo que melhor se adequa à realidade da Ebserh sem qualquer custo adicional, já que todo o processo (da construção do modelo à aplicação em si) é feita por atores internos. Considerando isso, temos a consciência de que o modelo sempre pode avançar e temos buscado o aprimoramento da pesquisa, tornando-a um processo de construção coletiva”, finalizou Savana Dantas.

Os resultados podem ser visualizados em painel eletrônico.

Outros resultados

A pesquisa também apontou que 40,7% dos usuários avaliaram o atendimento da equipe de saúde como bom e 52,6% como ótimo, totalizando 93,3% de avaliação positiva nesse indicador. Em relação à assistência da equipe multiprofissional, 40,6% avaliaram como bom e 51,5% como ótimo, somando 92,1% de satisfação.

Durante o ciclo de pesquisa são avaliados diversos itens como: indicação a familiares e amigos; satisfação geral; facilidade de locomoção; ambiente; conforto no local da recepção; sinalização; acessibilidade; higiene, limpeza e organização do hospital; conforto nas instalações na área de atendimento médico; local de espera; refeição (qualidade, temperatura, apresentação e variedade); atendimento da recepção; atendimento da equipe de saúde; assistência da equipe médica, multiprofissional e de enfermagem; e disponibilidade da equipe de saúde.

Outro indicador pesquisado é o tempo de espera, distribuído em quatro temas: tempo de espera para agendar uma consulta de retorno; tempo de espera no momento da consulta ou internação; tempo de espera para agendamento ou realização de um procedimento cirúrgico; e tempo de espera para agendamento ou realização de exames. O resultado sobre esse e outros indicadores podem ser vistos no Relatório Consolidado.

No Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás  (HC-UFG)

Quanto aos níveis de satisfação, confiança e indicação do Hospital, de modo geral, podem ser avaliados os dados referentes à opinião dos 357 usuários entrevistados, tanto nos ambulatórios (196), quanto nas internações (161), durante a aplicação do primeiro ciclo da Pesquisa de Satisfação.

Para ter acesso ao documento completo, clique no link a seguir: Relatório

 

Sobre a Rede Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

 

Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh e Ascom HC-UFG/Ebserh