Notícias Notícias

Voltar

Campanha de conscientização sobre o ruído (HC-UFG/EBSERH)

CONSCIENTIZAÇÃO

Campanha de conscientização sobre o ruído (HC-UFG/EBSERH)

O Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído, foi criado nos Estados Unidos em 1996- International Noise Awareness Day (INAD). O objetivo da campanha do Inad, assim como do Hospital das Clínicas de Goiânia foi de conscientizar a população, em especial focando o ambiente hospitalar, sobre o ruído e seus efeitos na saúde, qualidade de vida e meio ambiente. Além disso, mostrar a responsabilidade de cada indivíduo em reduzir o ruído gerado nas atividades diárias.

No Hospital das Clínicas de Goiás (HC-UFG), que é vinculado a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), a equipe de Fonoaudiologia realizou nesta quarta-feira, dia 24 de abril de 2019, uma campanha de Conscientização sobre o Ruído. A atividade envolveu profissionais e residentes de Fonoaudiologia.

Conforme  dados da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), em específico a norma NBR10152, de Dezembro de 1987, que estabelece os níveis de ruído compatíveis com o conforto acústico nos ambientes, a recomendação para hospitais- apartamentos, enfermarias, berçários, centro cirúrgicos é de 35-45dB, para laboratórios e áreas para uso do público, a recomendação é de 40-50dB e para serviços é de 45-55dB, sendo que o valor inferior da faixa corresponde ao nível de conforto, o valor superior equivale ao nível sonoro aceitável e os níveis superiores aos estabelecidos são aqueles ruídos considerados de desconforto, sem necessariamente implicar risco de dano à saúde.

A Norma Regulamentadora NR 15, referente a atividades e operações insalubres,  estabelece os limites de tolerância para ruídos contínuos ou intermitentes. Nesta, o limite máximo de exposição ocupacional diária permissível é de 85dB(A) por 8h de trabalho , sendo este limite reduzido gradualmente,  conforme aumento do nível de ruído.

A ação teve início com as aferições de ruído em vários ambientes dentro do Hospital das Clínicas da UFG, utilizando o decibilímetro. Foram registrados ruídos de fontes geradoras como conversas de pacientes, profissionais, acompanhantes, visita multiprofissional, reunião de equipe, equipamentos ligados (ar condicionado, toques de telefones, aparelhos hospitalares), carrinhos de limpeza e de transporte de alimentos e roupas, lixeiras, sapatos de salto alto, barulho de bater de porta, dentre outros.

Foram confeccionados materiais informativos como banners, visando a exposição dos dados encontrados a partir da aferição dos ruídos dentro dos ambientes hospitalares, bem como folders de orientação. Os mesmos foram divulgados e distribuídos no hall de entrada do hospital.

O intuito foi alertar sobre o nível de ruído gerado nas atividades diárias dentro do hospital, considerando que a exposição constante a ruídos pode causar efeitos maléficos a saúde.

Os efeitos do ruído não são imediatos, pois dependem do nível de intensidade do ruído, do tempo de exposição e da predisposição pessoal, mas podem ser cumulativos. Dentre os efeitos de ruídos no ser humano podemos citar perda de audição, distúrbios gastrointestinais, nervosismo, tensão, insônia, perda da concentração, excitabilidade, alterações comportamentais, redução da produtividade, alterações de humor, estresse, fadiga nervosa, aumento das chances de acidentes de trabalho, alteração do equilíbrio, dentre outros.

Cabe ressaltar a importância de todos para obtermos um ambiente saudável e confortável.