Notícias Notícias

Voltar

HC-UFG realiza atendimento em município de Flores de Goiás

EBSERH SOLIDÁRIA

HC-UFG realiza atendimento em município de Flores de Goiás

Profissionais de saúde do HC-UFG realizaram atendimento oftalmológico e testes de Anemia Falciforme durante mutirão realizado em 10/11

Um mutirão da solidariedade. Essa foi a ação promovida pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) no último dia 10/11, da qual participaram 39 hospitais universitários vinculados à Empresa, que levaram atendimentos de saúde a populações de municípios das cinco regiões do país com dificuldades de acesso a estes serviços.

O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC-UFG), um dos hospitais universitários da rede Ebserh, participou do mutirão na cidade de Flores de Goiás, município distante 435 quilômetros de Goiânia, capital do estado de Goiás. Por meio de uma parceria com a secretaria de saúde do município, médicos do Centro de Referência em Oftalmologia do HC-UFG (Cerof) realizaram cerca de 81 consultas oftalmológicas. Também foram realizados 75 exames de Teste de Falcização de Hemácias, para a detecção de doença falciforme e duas capacitações para os profissionais de saúde da cidade.

Segundo a chefe do Setor de Projetos Estratégicos em Saúde do HC-UFG, assistente social Eulange de Sousa, o município de Flores de Goiás foi escolhido por indicação da Secretaria Estadual de Saúde, por ser um município com dificuldades para o agendamento de consultas. “A secretária de saúde do município nos disse que haviam 200 pessoas precisando de uma consulta oftalmológica, mas somente duas conseguiram atendimento nesse ano”, afirmou. 

Para a secretária de saúde do município de Flores de Goiás, Valquíria Fernandes Queiroz, essa parceria trouxe grandes benefícios para a população do município, que é formada por uma população de 15 mil pessoas, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Enquanto prefeitura, contamos com poucos recursos, o que não nos possibilita oferecer com abrangência os serviços de saúde. E só conseguimos ampliar a oferta desses serviços por meio de parcerias, como essa com o HC-UFG nesse mutirão da rede Ebserh”, afirmou.

A secretária explicou que a realização dos testes para a detecção da Anemia Falciforme foi muito relevante, pois o município de Flores de Goiás foi reconhecido como uma comunidade formada por remanescentes quilombolas. “A maior parte das pessoas reside em assentamentos quilombolas (cerca de 12 mil pessoas) e somente 4 mil são residentes do município. E, como se sabe, essa doença prevalece em pessoas de origem africana”. É o caso de Urica Pereira dos Santos, que realizou o exame para o diagnóstico de Anemia Falciforme. “Eu tenho duas pessoas na família com o traço, por isso eu quis fazer também o exame”.

Valquíria Queiroz também destacou a importância das consultas oftalmológicas oferecidas no mutirão. “Desde o início desse ano percebemos que havia uma grande demanda de consultas de oftalmologia e, por isso, tentávamos encaminhar esses pacientes para outros municípios. Com o mutirão realizado hoje, tivemos bastante procura e só não conseguimos zerar a fila em razão da chuva que começou ontem e provocou a falta de energia, atrasando o nosso atendimento”, disse.

Um das pessoas atendidas no mutirão foi o senhor José Antônio de Oliveira, 72 anos. Morador do Assentamento São Vicente, a 42 quilômetros do município de Flores de Goiás, José Antônio é lavrador, mas não está conseguindo trabalhar devido às dificuldades para enxergar. “Eu já operei de catarata, mas, há quatro meses, a visão voltou a ficar ruim. Eu não consigo enxergar quase nada, principalmente durante o dia. Por isso hoje eu vim aqui. Eu gostei demais do atendimento. Eu espero poder voltar a enxergar bem de novo”, disse.

Já a senhora Maria Creuza Andrade de Oliveira, 62 anos, fez o teste para a detecção de Anemia Falciforme. Moradora do assentamento PA Canaã, Maria Creuza estava muito feliz pelo atendimento. “É muito difícil chegar até aqui, porque é muito longe. Hoje, eu vim de carona com uma amiga. Eu estou muito feliz, porque estava me sentindo mal, vim ao mutirão e já fui atendida”, disse. A senhora Balduína Soares Araújo, que também consultou na oftalmologia, ficou agradecida com o atendimento. “O povo de Goiânia é especial. Eles vêm com tanta dificuldades para atender aqui. A gente é que fica devendo eles”.

Capacitações

O enfermeiro Raimundo Djalma Souza ministrou a palestra sobre Anemia Falciforme, doença hereditária, transmitida dos pais para os filhos, com origem africana, mas que, devido à miscigenação da população brasileira, tornou-se comum em diferentes etnias presentes no país. “As hemácias dos portadores adquirem formato de foice e infecções e dores nas articulações são alguns dos sintomas que acometem os pacientes”, disse Djalma Souza. 

Já a enfermeira Divina Fernandes falou sobre Segurança do Paciente aos profissionais de saúde do Hospital Municipal de Flores de Goiás, abordando os cuidados e protocolos adotados pelo HC-UFG para a segurança de pacientes e profissionais de saúde.

“Estou muito feliz por estar trabalhando com uma instituição com a seriedade e o porte do Hospital das Clínicas. Eu pretendo continuar com essa parceria de forma profunda”, agradeceu o prefeito de Flores de Goiás, Jadiel Ferreira de Oliveira. “Flores de Goiás é um município muito carente. Essas pessoas não tem condições de se deslocarem até Goiânia. Por isso, trazer o Hospital até o município é de grande importância, pois permite-se que muitos atendimentos sejam realizados em um só dia”, ressaltou o prefeito. 

Imagens:

Ascom do HC-UFG/Ebserh