Notícias Notícias

Voltar

Hospital das Clínicas une ensino e assistência no combate à Covid-19

Esforço

Hospital das Clínicas une ensino e assistência no combate à Covid-19

Atuação de professores, preceptores, residentes e alunos impactam positivamente a assistência aos pacientes e o enfrentamento da doença

Os hospitais universitários têm importante papel na sociedade, sendo espaços primordiais de ensino, pesquisa e extensão na área da saúde, além de assistência. Neste momento de pandemia, eles se tornam ainda mais essenciais, apoiando a rede de saúde no combate à Covid-19. No Hospital das Clínicas da UFMG/Ebserh, o esforço de professores, preceptores, residentes e alunos impactam positivamente a assistência aos pacientes e o enfrentamento da doença.

E os números são grandes. O HC possui 73 programas de residência médica e multiprofissional, cerca de 600 residentes de diversas áreas da saúde e 400 docentes. “O ensino, neste momento, impacta diretamente a assistência no combate à Covid-19 ao preparar o profissional de saúde para prestar um atendimento seguro e contribuir com a definição das melhores estratégias de diagnóstico, tratamento e acompanhamento”, afirmou a Gerente de Ensino e Pesquisa, Fabiana Kakehasi.

Diversas atividades educacionais voltadas para a pandemia têm sido realizadas na instituição nos últimos meses. São, em sua maioria, treinamentos para o fortalecimento da capacidade técnica do corpo clínico e multiprofissional, e dos residentes do hospital, principalmente os que atuam na linha de frente de combate ao coronavírus em áreas como, por exemplo, Fisioterapia, Clínica Médica, Pediatria, Ginecologia, Infectologia, Terapia Intensiva e Medicina de Emergência.

Na Unidade de Atenção à Urgência do HC-UFMG, porta de entrada dos pacientes suspeitos de infecção pelo novo coronavírus, 28 residentes do Programa de Residência em Medicina de Emergência recebem treinamento e capacitação para lidar com situações de crise, catástrofes e pandemia, como é o caso da Covid-19.

“A importância do hospital universitário na capacitação e formação de recursos humanos de saúde é extrema. Já formamos 16 médicos emergencistas, sendo que quatro deles entraram nesse concurso emergencial da Ebserh para o enfrentamento do novo coronavírus. Além disso, foram desenvolvidos diversos protocolos, como o de intubação orotraqueal para os profissionais da assistência, com o auxílio dos residentes. Temos ainda vários projetos de pesquisa em desenvolvimento. É papel do professor universitário ser um fomentador, um modelo para essa turma mais jovem”, afirmou o coordenador da Residência em Medicina de Emergência, o médico emergencista e intensivista Marcus Vinícius Melo de Andrade.   

Multiprofissionais

Residentes multiprofissionais receberam treinamento de paramentação e desparamentação para desenvolverem suas atividades, sob a supervisão direta de um preceptor ou tutor, durante a pandemia. Os residentes da fisioterapia, umas das áreas mais demandadas neste momento, receberam, ainda, capacitação específica sobre oxigenoterapia e ventilação mecânica; aplicação do uso de dispositivos, filtro e umidificador, no circuito de ventilação mecânica do paciente com COVID-19; e treinamento de aspiração por sistema fechado.

“A atuação na pandemia possibilitará uma experiência peculiar na assistência, pautada em evidências científicas produzidas neste momento, o que demandará uma frequente atualização de conhecimentos teórico/práticos e também uma oportunidade de vivenciar a inserção na gestão com processos de trabalho em constante mudança, e o desenvolvimento de novas pesquisas”, ressaltou a coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional do HC-UFMG, Marcella Guimarães Assis.