Notícias Notícias

Voltar

Histórias de superação têm motivado profissionais da linha de frente a permanecer firmes

Incentivo

Histórias de superação têm motivado profissionais da linha de frente a permanecer firmes

Cada vida salva é celebrada por toda equipe do HU- UFMA com muita alegria

O enfrentamento da COVID-19 tem sido marcado como um dos mais desafiadores para a saúde no Brasil e no mundo. Profissionais de saúde se esforçam para manter o equilíbrio em meio ao medo e ao cansaço para oferecer o seu melhor aos pacientes. Nesse contexto, no Hospital Universitário da UFMA a vitória de cada paciente ganha um sabor ainda mais especial, não só de dever cumprido, mas também de ânimo para continuar a batalha.

Cada vida salva é celebrada por toda equipe com muita alegria, entre as histórias está a de Cláudio Matias Barros Júnior, 28 anos, primeiro paciente que teve alta (09/04) do Hospital Universitário da UFMA e saiu curado após sete dias lutando para sobreviver em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo monitorado 24h por dia. Inclusive, é médico e residente de cirurgia do aparelho digestivo do HU-UFMA.

Ao sair da UTI, Cláudio Barros, segurava um cartaz com os dizeres “Eu fui curado do Covid-19. Graças a todos vocês. Obrigado!!! Jesus Vive. Amém”. Muito emocionado, ele fez um belo discurso em que agradeceu a Deus, a toda a equipe de saúde e de apoio. “De longe, esse foi o momento que passei mais perto da minha morte, da angústia e do medo e de tudo, de ter ficado longe da minha família, da minha princesa, que é a minha esposa. Mas eu sentia que cada um de vocês estava comigo. Queria agradecer cada técnico, cada auxiliar de limpeza, cada enfermeiro, cada médico, cada nutricionista e cada um que esteve até aqui comigo. Cada um de vocês contribuiu um pouquinho para que eu ficasse bom”, afirmou Cláudio.   

A técnica de enfermagem Maria Jeane Sousa Lobato, 30, grávida de 31 semanas, também foi uma das pacientes vitoriosas. Após ter diagnóstico confirmado de Covi-19 precisou ter seu parto antecipado por complicações da doença.  Após o parto foi para o isolamento na UTI e o bebê para a UTI neo. Enquanto estava internada conheceu o bebê por meio de vídeo chamada e assim que teve alta visitou o filho na UTI NEO e pôde transmitir seu carinho e calor ao filho com o método canguru ( técnica de atenção do recém-nascido em situação de baixo peso ao nascer e/ou prematuridade que fundamenta-se no contato pele a pele entre a mãe o bebê e nos cuidados na alimentação, estimulação e proteção).

Para a chefe da Unidade de Cuidados Intensivos Perinatais, Marynea Vale, proporcionar um momento como esse para uma família não só traz grande alegria como também encorajamento para continuar a batalha contra à COVID-19. “Ver a emoção da mãe ao ver o rostinho do filho é recompensador para nós. Sabemos que o ideal era que os dois estivessem juntos, mas também que diante da realidade o importante é amenizar o sofrimento enquanto a distância se faz necessária para eles tenham uma vida de vitórias e saúde pela frente”.

Para a superintendente do HU-UFMA, Joyce Lages, momentos como esse devem ser comemorados e divididos com toda a sociedade por serem um sopro de esperança em meio às dificuldades. “Vivemos um momento onde a negatividade e o medo do pior tornam a batalha ainda mais difícil de ser enfrentada. Esses momentos devem ser muito comemorados e evidenciados pois deixam claro que: Sim! É possível vencer a COVID-19”, disse ela.

Após 40 dias de cuidados incansáveis, a primeira paciente internada no HU-UFMA com diagnóstico de covid-19 também recebeu alta. Jociele Pinheiro, 38 anos, está à espera do Gael (28 semanas), e após cuidados incansáveis de toda a equipe, mãe e bebê puderam vencer a batalha e saíram da UTI aguardados com festa pelos profissionais de saúde e familiares. A celebração teve direito a bolo, louvores e “parabéns para você” celebrando a nova vida que estava se iniciando a partir dessa vitória, que não era só da Jociele, mas de toda a equipe do HU-UFMA.

Ascom HU-UFMA