Notícias Notícias

Voltar

HU-UFMA recebe álcool glicerinado e protetores faciais

Doação

HU-UFMA recebe álcool glicerinado e protetores faciais

Material foi produzido por professores, técnicos e alunos da UFMA

Na manhã desta segunda-feira, 27, foram entregues ao Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão 35 máscaras de proteção e 210 litros de álcool glicerinado produzidos por professores técnicos e alunos da UFMA. Os materiais foram recebidos pelo gerente de Administração do HU-UFMA, Eurico Santos Neto, e serão destinados aos profissionais diretamente envolvidos no tratamento de pacientes com Covid-19 e à proteção das equipes que trabalham na instituição de saúde.

O álcool glicerinado 80% foi produzido no Laboratório de Tratamento de Resíduos da UFMA e embalado em frascos de 10 litros. Todo o trabalho do projeto “Ciência & Prevenção” é desenvolvido por professores do departamento de tecnologia química, de química, engenharia química, técnicos de laboratórios, químicos, e um grupo com aproximadamente 40 alunos, em maioria de Química Industrial e de Química.

Em outra frente, a Superintendência de Infraestrutura (Sinfra), o Departamento de Desenho e Tecnologia (Dedet) e o Laboratório de Prototipagem e Design (intitulado como Fabrique) da UFMA, em parceria com a Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), estão trabalhando na confecção de protetores faciais e de máscaras N95.

Para o gerente de Administração do HU-UFMA, é uma grande satisfação receber os materiais, principalmente no atual momento de carência destes itens. “As máscaras faciais garantirão proteção para os nossos colaboradores que estão na linha de frente, assim como as equipes que estão na retaguarda, fazendo atividades que são essenciais para garantir o apoio para quem está diretamente com os pacientes. O álcool garantirá salubridade de nossas estruturas, e é gratificante recebê-lo neste momento em que estamos com dificuldade de adquirir esses produtos”, afirmou.

Para o superintendente de Infraestrutura da UFMA, Wener Santos, o ato simboliza uma reafirmação da qualidade das produções científicas da instituição. “A universidade tem um grupo de professores preparados e qualificados para desenvolverem muitas pesquisas. A importância é colaborar no combate à Covid-19 e mostrar quanto a UFMA pode colaborar com a sociedade. É uma quantidade pequena, mas significante para garantir a proteção aos profissionais de saúde”, realçou.

O professor Ulisses Magalhães Nascimento, que coordena a equipe de produção do álcool glicerinado, explicou que, antes da entrega, foram feitos testes de qualidade do produto, análise tanto da matéria prima, quanto do produto final, e enfatizou que mais ainda pode ser produzido no Laboratório. “É para isso que a gente trabalha, para dar esse retorno à sociedade, que será via Hospital Universitário neste momento. Inclusive, a quantidade que temos produzimos é o dobro do que estamos entregando hoje, mas, como a próxima remessa ainda está em análise de eficiência na destruição de patógenos, não será entregue hoje, mas na próxima semana. Acredito que faremos entrega similar ou maior da que estamos fazendo agora”, salientou.

A docente de Design e coordenadora do Laboratório de Prototipagem e Design, Karina Bomtempo, explicou que todo o trabalho de confecção dos protetores faciais obedece a uma norma técnica da Anvisa que estabelece uma série de rigores que foram obedecidos pela equipe da UFMA na produção destes equipamentos. Ela frisou que a iniciativa partiu de um contato do superintendente Wener e que foi prontamente aderida por estudantes e professores interessados em saber como utilizar os equipamentos e conhecimentos do curso de Design para ajudar o Hospital Universitário.

“Há duas impressoras 3D que servem para ensino e aprendizagem dos discentes que estão sendo utilizadas. Nós temos visto experiências sendo feitas no Brasil e em outros países na confecção destas máscaras e resolvemos utilizar as impressoras para produzirmos a armação do protetor facial. Nós temos pessoal e equipamentos capazes de gerar algo que pode ser usado. Agradeço muito aos alunos e aos professores que colaboraram. Cada um fazendo um pouquinho, a gente sente que sempre há como ajudar”, elogiou.

E ainda há mais por vir: o professor Evandro Guimarães, também do Departamento de Design, afirmou que o primeiro teste com a máquina que termoformação que está sendo construída na Cidade Universitária poderá será feita ainda esta semana. O equipamento, desenvolvido com sucatas e materiais reciclados da própria UFMA, será capaz de produzir dez máscaras N95 de uma só vez. Em sua visão, para os alunos participantes, a experiência é incentivadora.

“A eles, imagino que seja uma experiência muito boa estarem ligados a um processo produtivo. Não apenas em ensaios ou simulações, estão no campo de batalha mesmo. Acho que está sendo muito rico pra eles vivenciar como a gente vai desenvolvendo um produto, seu aprimoramento, inclusive na escolha dos materiais, do melhor design e no processo de produção”, concluiu.

 

Por Luciano Santos da Ascom da UFMA

Imagens:

Ascom da Universidade Federal do Maranhão