Notícias Notícias

Voltar

Paciente é presenteada com arte que registra momento único da maternidade

PARTO

Paciente é presenteada com arte que registra momento único da maternidade

Imagem utiliza a placenta e é chamada de “árvore da vida” por retratar o órgão

Para muitas mulheres, se tornar mãe é um dos marcos mais importantes de toda vida. Já pensou poder levar para casa um registro único desse momento? Esse foi o objetivo que levou a auxiliar de enfermagem, doula e enfermeira obstetra, Analamacia Brito, a desenvolver uma técnica artística que utiliza a placenta para registrar esse momento, tornando o parto mais humanizado e ainda mais inesquecível para a mãe.

O Hospital Universitário da UFMA (HU-UFMA), gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), é uma instituição que preza e incentiva o parto humanizado sendo referência no Cuidado Amigo da Mulher que inclui boas práticas no parto e nascimento. E dentro desse contexto surge todo esse processo que tenta desmistificar o parto como um momento de dor e sofrimento da mulher.

Analamacia Brito, que atua no Centro de Parto da Unidade Materno Infantil, teve uma noite de plantão bastante prazerosa nesta terça, 07, quando a mãe Marizete de Jesus Oliveira, 34 anos, entrou em trabalho de parto e ela pôde acompanhar de perto. “Sempre estou pronta para trabalhar a assistência acolhedora dessas pacientes no pré-parto. Quando cheguei no plantão, encontrei a Marizete que já tinha um parto cesáreo anterior e não queria de jeito nenhum ter parto normal, mas as médicas plantonistas me informaram que ela tinha todo o perfil para parto normal. Então conversei com ela e expliquei sobre os métodos não-farmacológicos para alívio da dor que podíamos ofertar para ela durante o trabalho de parto. Fizemos massagens, exercícios na bola e agachamento.”

Ela ainda contou que precisou se conectar com a paciente e ganhar sua confiança para que esta se sentisse empoderada a ter o parto normal. “Ela não entendia muito o processo do trabalho de parto, então não aceitava aquelas dores e via aquele processo como sofrimento, mas a gente conversou muito durante todo o trabalho de parto. A gente tenta passar que esse momento pode ser prazeroso, pois é um dia em que ela não vai esquecer. E ele não pode ser lembrando como sofrimento, então ela precisa lembrar desse momento com leveza, com amor, até porque é o nascimento de um filho e de uma família.” destacou Analamacia.  

A bebê, Yasmin, nasceu por volta de uma e meia da manhã da quarta, 08, e com certeza essa data ficará marcada na memória da mãe, pois ela levará para casa a arte feita com a sua placenta, órgão responsável por proteger e levar oxigênio e nutrientes ao feto. A casinha ou a árvore da vida, como é chamada, eternizará esse momento.

A arte foi feita com a técnica do carimbo, utilizando a placenta, em papel A3 e contou também com o uso de tinta guache. O nome “árvore da vida” faz uma referência ao formato do órgão, pois o caule é o cordão umbilical, os galhos e as folhas são representados pelos vasos sanguíneos e tecido placentário.

Marizete Oliveira, falou sobre a experiência. “Eu tive dois partos. O primeiro parto cesariano teve suas vantagens e desvantagens, assim como o normal também. Porém o parto normal que é esse da minha segunda filha, da Yasmin, foi um parto demorado, porém bem tranquilo, onde eu fui muito bem assistida. Deus enviou pessoas maravilhosas para cuidar de mim e da minha filha, que graças a Deus nasceu bem, saudável, com 3.300g. E a cesariana me deixou com sequelas até hoje, devido as dificuldades que eu tenho, porque é corte e você fica com dor, além da recuperação ser um processo muito demorado. Já o parto normal é só as dores que a gente sente quando entra em trabalho de parto, mas finalizando o parto acaba tudo. É uma coisa de Deus, um trabalho que só Deus para explicar, ainda mais quando você acha pessoas que são capacitadas que lhe ajudam, que lhe dão forças tanto com palavras como lhe ajudam com terapias, fazendo massagem, usando bola que aliviam muito as contrações e a minha experiência e recomendação é que o parto normal é 100% melhor.”

Saiba mais

O HU-UFMA integra a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) pela Organização Mundial da Saúde - OMS e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância-UNICEF com finalidade de apoiar, proteger e promover o aleitamento materno. Desde 1999 o HU-UFMA recebeu o título de Hospital Amigo da Criança.

Os Hospitais Amigo da Criança são referência em qualidade e humanização do atendimento durante todas as etapas da gestação, parto e nascimento e período neonatal precoce.

 

Por Alexsandra Jácome

Imagens:

Unidade de Comunicação Social do HU-UFMA