Notícias Notícias

Voltar

Reunião Técnica em Pré-natal capacita profissionais da Atenção Primária

Prevenção

Reunião Técnica em Pré-natal capacita profissionais da Atenção Primária

O objetivo era levar informações sobre condutas no pré-natal na atenção primária, principais causas de óbitos evitáveis entre outros temas

O Hospital Universitário da UFMA, gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HU-UFMA-Ebserh) realizou nesta quarta-feira, 30/09, uma Reunião Técnica em Pré-natal para a Atenção Primária em Saúde, realizada pela Comissão de Prevenção de Mortalidade Materna, Fetal e Infantil do HU-UFMA.

Dividido em dois turnos para respeitar o distanciamento social, cada grupo de 20 profissionais da Estratégia da Saúde da Família participaram da reunião no auditório central da Unidade Materno Infantil e tiveram acesso as informações sobre o funcionamento da Comissão, condutas no pré-natal na atenção primária, cuidados à gestante de alto risco e principais causas de óbitos evitáveis. Na abertura do evento estavam presentes, a superintendente do HU-UFMA, Joyce Santos Lages, a coordenadora da Atenção à Mulher, Criança e Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde, Ananda Garcez, a chefe do Setor de Gestão da Qualidade e Vigilância em Saúde, Sirlei Garcia e a presidente da Comissão de Prevenção de Mortalidade Materna, Fetal e Infantil do HU-UFMA, Gilma de Abreu.

Focando na importância de se trabalhar de forma conjunta e em prol de melhorias na qualidade da assistência, a presidente da Comissão, Gilma de Abreu pontua a alegria da instituição em poder realizar esse encontro com profissionais tão necessários nesse processo “Estamos muito felizes com a participação de vocês. Estamos aqui para informá-los como é o nosso processo e fortalecer o nosso papel. Realizamos reuniões todas às terças-feiras com representantes das chefias do HU e representantes do Estado e Município. Nas reuniões avaliamos os óbitos que tiveram no HU e de onde é a responsabilidade desses óbitos. Diante disso, planos de ação precisam ser desenvolvidos para evitar que outros casos aconteçam. Nós sentimos a necessidade de fazermos essa reunião porque nós observamos que ao longo dos anos, de 2018 para cá, as causas vêm se repetindo. Nós estamos aqui para colaborar. Nós trabalhamos em parceria, não fazemos nada sozinhos, por isso é tão importante momentos como esse”.

A superintendente do HU-UFMA, Joyce Santos Lages, destacou o papel da atenção básica no cuidado para o paciente e como um bom início de acompanhamento pode evitar maiores danos “Vocês são fundamentais nesse processo. Quem faz a diferença no atendimento é a atenção básica, o problema precisa ser identificado na raiz, logo no início, para que se evite que chegue no nível terciário, que é onde nós estamos inseridos. Uma simples escuta qualificada pode dar um rumo diferente na vida de um paciente. Aproveitem esse momento para esclarecer as informações, tirar as dúvidas e vamos juntos buscar o melhor para os nossos pacientes”.

A coordenadora da Atenção à Mulher, Criança e Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde, Ananda Garcez reforça que além de serem atores principais da Rede Cegonha, todos precisam estar vigilantes da política “ Quando a gente tem um problema de saúde pública, a exemplo da mortalidade, nós temos a mania de já falar da necessidade de se criar políticas públicas para resolver a situação, mas na verdade a política já existe, ela é a Rede Cegonha.  Ela garante o cuidado completo para a mulher, seu bebê e sua família. Tudo é muito fluido, se for desenvolvido como deve ser desde a ponta. Tudo que envolve o contexto da mortalidade é muito triste, não são só números, são famílias que são afetadas. Por isso, se sintam responsáveis por esses pacientes no dia-a-dia, dêem o seu melhor. A atenção básica precisa se fortalecer e nós somos fundamentais para isso. ”

Por Danielle Morais

 

Ascom HU-UFMA