Covid-19 Covid-19

Covid-19

Covid-19

É tempo de ter esperança e de acreditar que dias melhores logo chegarão.

Estamos vivenciando tempos difíceis, atravessando um momento incerto, em que precisamos, independente de categoria profissional, evitar o contato humano para garantir o controle da pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Para nós, que trabalhamos na área da saúde, esse cenário passa a ficar muito mais doloroso, pelo medo de ficar doente, de transmitir a doença para nossos familiares e de não sabermos quanto tempo exatamente isto durará. Mas não podemos deixar o medo sufocar nossas mentes. Faça dele o melhor aliado contra o vírus, tendo o cuidado na paramentação e desparamentação que podem ser treinadas e relembradas, dia após dia, nos vídeos de capacitação que estão divulgados no SIGA (intranet do HU-UFS).

Na vida, nada acontece por acaso. Escolhemos uma área em que a ciência prevalece, mas ao mesmo tempo não nos tira a capacidade de ser humano e guiado pelo afeto. Em qualquer curso da área da saúde somos treinados, desde o início, para nosso objetivo final: o bem estar de quem cuidamos.

No transcorrer dos nossos cursos ficamos angustiados questionando se fizemos a melhor escolha. Contudo, basta ver o resultado favorável de recuperação de algum paciente que cuidamos e a incerteza acaba. Vem a formação, a especialização, e, quando achamos que estamos prontos para enfrentar os desafios, aparece uma nova doença para mudar conceitos e posturas.

Tudo o que é novo pode ser inovador, mas assusta mais do que isso, temos que nos rasgar e remendar-se nas nossas posturas, conceitos e conhecimentos, como disse o escritor Guimarães Rosa. Aí o medo pode nos sufocar e entrarmos em pânico com paralisação total. O medo é necessário na concepção de racionalidade, não ter medo nenhum significa loucura ou irracionalidade.

Para os epidemiologistas, essa epidemia, assim como todas as outras, tem um tempo para acabar ou ser controlada. Aprendemos isso com as outras que já vimos ou temos notícias. Portanto, é tempo de ter esperança e de acreditar que dias melhores logo chegarão. Assim como uma noite de tempestade nos assusta e alguns podem perecer, o sol volta a brilhar inevitavelmente, e da noite tenebrosa fica apenas a lembrança.

“Devemos ir buscar a coragem ao nosso próprio desespero”. Essa frase do filósofo grego Sêneca traduz bem esse momento que estamos passando. Mahatma Gandhi escreveu: “... a força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável...”, vontade essa que tivemos que aprender a desenvolver durante os nossos cursos e na vida profissional.

Fomos convocados para uma “guerra” de combate a um inimigo invisível, independente da nossa profissão para a qual tanto nos preparamos, independente do tempo de afastamento na assistência a paciente graves emergenciais. A maior arma é a nossa inteligência e o nosso dever de profissional de saúde: a vontade de servir ao próximo.

O medo de ficar doente e de adoecer os nossos familiares deve se equilibrar à vontade de cuidar deles e de nós quando precisarmos. Portanto, citando Georges Bernanos, “a mais elevada forma de esperança é o desespero superado”.

Quero encerrar com uma frase de Martin Luther King “Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo”. Todos nós estaremos juntos! Nunca descuidem dos Equipamentos de Proteção Individual e que Deus nos proteja!

Angela Maria da Silva, superintendente do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS).

POP.SCIRAS.003 - Colocação e retirada de máscara respiratória (PFF2/N95)

POP.SEHH.CPRH.028 - Coleta de roupa suja da Covid-19

POP.UR.002 - Sistema fechado de aspiração para pacientes graves com infecção suspeita ou confirmada pela Covid-19

POP.EMTN.003 - Administração de nutrição enteral em pacientes na posição prona na área Covid-19

 
 

POP.CPRH.028 - Coleta de roupa suja na unidade de internação Covid-19

POP.SCIRAS.004 - Colocação e retirada de máscara respiratória (PFF2/N95)

POP.UCP.001 - Cricotireoidostomia em Unidade de Terapia Intensiva

POP.DENF.002 - Fluxo de transporte do corpo de pacientes suspeitos ou confirmados Covid-19 para necrotério

POP.HIG.036 - Limpeza e desinfecção da ambulância após transporte de paciente suspeito ou confirmado de Covid-19

Movimentação de prontuários de pacientes da enfermaria e UTI Covid-19

Orientações para coleta e transporte de secreção respiratória SARS-CoV-2 (Covid-19)

Paramentação e desparamentação dos profissionais de saúde nos casos suspeitos e/ou confirmados de Covid-19

Plano de contingência para atendimento ao paciente suspeito por novo Coronavírus (Covid-19)

Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico de Covid-19

Recebimento, desinfecção e acondicionamento dos protetores faciais

Terapia nutricional em pacientes com Covid-19

Transporte intra-hospitalar de pacientes suspeitos e ou confirmados Covid-19 pelo profissional de apoio maqueiro

Assistência nutricional aos pacientes com Covid-19 em via oral

 

Hemoterapia em pacientes com Covid-19

Oxigenoterapia para pacientes com infecção suspeita ou confirmada pelo Covid-19

Posição Prona em pacientes com infecção suspeita ou confirmada pelo Covid-19

Reanimação cardiopulmonar em pacientes com infecção suspeita ou confirmada pelo Covid-19

Sistema fechado de aspiração para pacientes graves com infecção suspeita ou confirmada pelo Covid-19

Hemoterapia em pacientes da COVID19

Fluxo de Transporte do corpo de pacientes suspeitos ou confirmados de COVID para necroterio 

Triagem e classificação de risco

Rotina médica na UTI Covid-19

Sistema fechado de aspiração

Reanimação cardiopulmonar

Oxigenioterapia para pacientes com Covid-19

Intubação orotraqueal em pacientes com Covid-19

Manual de manejo clínico do paciente com Covid-19

POP.UR.003 - Posição Prona em pacientes com infecção suspeita ou confirmada pela Covid-19

POP.SRAS - Agendamento de Interconsultas e exames para colaboradores do HU - UFS

POP.SRAS - Fluxo de Referencia para crianças com casos leves de Covid 19

Triagem de Pacientes para detecção de sintomas respiratórios - Admissão

POP.DENF.006 - Higiene oral do paciente com Covid-19 em uso de tubo orotraqueal

POP.SRAS.027 - FLUXO REFERÊNCIA PARA CRIANÇAS COM CASOS GRAVES DE COVID-19

Para conhecer as orientações gerais do Serviço de Segurança Ocupacional e Saúde no Trabalho do HU-UFS-EBSERH, aprovadas pelo Colegiado Executivo e pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, clique aqui.

Plano de contingência para atendimento ao paciente suspeito por Covid-19

Medidas para prevenção e controle da transmissão do Covid-19

Cartaz -  Sequência para colocação e retirada de EPIs para os Kits

Fluxograma de atendimento a pacientes internados que desenvolverem suspeita de Covid-19

Fluxograma de atendimento e detecção precoce do Covid-19 no Ambulatório

Fluxograma de notificação de caso suspeito ou confirmado

Orientações para assistência domiciliar a indivíduos suspeitos ou confirmados e contatos de portadores do Novo Coronavírus

Manual de manejo clinico

 

Plano de Vigilancia à Saude do Trabalhador no enfrentamento á COVID 19

Limpeza e desinfecção do necroterio para prevenção da COVID 19

Fluxo de atendimento psicologico para pacientes suspeitos ou confirmados da COVID 19

Terapia Nutricional em pacientes com Covid 19

Alocação e liberação de corpos no Necroterio do HU-UFS durante a pandemia de Covid

Administração de Nutrição Enteral em pacientes na posição prona na Unidade Covid

Fluxo referencia para adultos em casos leves de Covid

Assistencia nutricional aos pacientes com covid 19 via oral

Pop.Hig.032 - Recolhimento de resíduos ( covid19)

Pop.Hig.034 - Limpeza e Desinfecção em areas de isolamento (Covid 19)

Pop.Hig.035 - Limpeza e Desinfecção das areas intrahospitalares ( covid 19)

PRT.DGC.001 - Protocolo de acolhimento do serviço ambulatorial durante a pandemia do Coronavirus

POP. UR.008 - Reabillitação Pulmonar para pacientes pós alta hospitalar por infecção confirmada pela COVID-19

Unidade de Terapia Intensiva e Unidade de Internação para pacientes com Covid- 9

 

A partir do dia 23/04/2020, o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), disponibilizou 30 leitos para pacientes com Covid-19, sendo 14 de UTI e 16 de enfermaria de retaguarda.

Esta nova UTI do HU-UFS está preparada para receber pacientes graves com diagnóstico de COVID 19 com todos os equipamentos necessários, como os respiradores e os monitores multiparâmetros. A Enfermaria será destinada a pacientes egressos da UTI e aqueles com menor grau de gravidade.

Ressalta-se que o HU-UFS foi classificado como um hospital de retaguarda, e não de referência. Sendo assim, a população em geral que apresentar sintomas gripais, com suspeita da doença, devem procurar as redes de saúde pública ou privada como porta de entrada para o atendimento suspeitos de COVID 19.

O Hospital Universitário deve receber apenas pacientes regulados e encaminhados por outros serviços de saúde, conforme contato e autorização prévios pelo Núcleo de Regulação de Leitos do HU-UFS.

Equipe faz uso de salas do ambulatório do hospital, tendo à disposição dez aparelhos telefônicos com ramais e dez computadores com acesso ao Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários.

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), implantou um serviço de saúde que abrange orientação, esclarecimento e condução médica de forma remota. Trata-se da teleorientação, que inicialmente servirá aos pacientes do próprio HU-UFS, com perspectiva de ser estendido à população em geral.

De acordo com o gerente de Ensino e Pesquisa do HU-UFS, professor Roque Pacheco, a iniciativa propõe fornecer orientações e esclarecimentos de dúvidas da população assistida pelo HU-UFS, bem como, nos casos possíveis, dar a conduta médica de forma remota, reduzindo os deslocamentos para o hospital.

“Vamos estruturar uma central telefônica para recebimento de dúvidas relacionadas aos cuidados em saúde de usuários, a fim de classificar, agrupar e direcionar para a melhor forma de respondê-las. A proposta é possibilitar conduta médica com especialistas do ambulatório, suprindo necessidades clínicas dos usuários a partir da classificação de suas queixas”, detalha Roque.

Triagem

Ele ressalta que serão triados os casos que necessitem de avaliação presencial, nas situações em que a presença é permitida, e agendados os horários de forma a não gerar aglomerações no ambulatório. Também está permitida a participação de estudantes durante os atendimentos para atuarem, sob supervisão, na classificação e direcionamento das respostas, tudo isso com regulamentação e orientação de professores da UFS.

Para possibilitar o serviço, estão envolvidos médicos que atuam no HU-UFS, professores do Departamento de Medicina da UFS, estudantes de medicina voluntários, alunos do internato de medicina, residentes, farmacêuticos e profissionais da Divisão de Gestão do Cuidado e do Setor de Gestão de Processos e Tecnologia da Informação (SGPTI) do HU, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju e com a Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe.

Estrutura

A equipe fará uso de salas do ambulatório do hospital, tendo à disposição dez aparelhos telefônicos com ramais e dez computadores com acesso ao Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU), que tem entre suas funções unificar práticas assistenciais e administrativas, auxiliando na Gestão Hospitalar.

Roque destaca que as orientações com necessidade de prescrição de medicamentos ou de consultas presenciais seguirão um fluxo específico. “As receitas médicas que forem geradas serão disponibilizadas para entrega aos usuários em uma recepção do ambulatório do HU-UFS, onde deverão ser dispensadas por farmacêuticos, conforme agendamento feito pela central telefônica. As consultas presenciais que forem necessárias, nos casos permitidos, serão agendadas em horários específicos, para não gerar aglomerações no ambulatório”, pontua o professor.

Inicialmente, a previsão é que a central telefônica funcione de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. “No primeiro momento os colaboradores, conforme escala, deverão entrar em contato com os pacientes agendados para realizar uma busca ativa das queixas, bem como divulgar os números da central telefônica. Esses números também serão divulgados pela mídia”, informa;

Posteriormente, no mesmo horário, ocorrerão as ligações espontâneas, por parte dos usuários, que deverão ser seguidas de um cadastramento dos dados do solicitante no AGHU, contendo dados como nome e número do registro de atendimento do ambulatório e descrição da queixa.

O teleatendimento, de forma inicial, beneficiará aos pacientes do HU-UFS. “A proposta é estender o serviço à população como um todo, inclusive servindo como um canal de orientação sobre o Covid-19”, enfatiza, lembrando que a iniciativa surgiu em virtude da pandemia provocada pelo Coronavírus e das medidas preventivas de contato social impostas para o controle da sua transmissão.

Atuação da Rede Ebserh

Desde os primeiros anúncios sobre o Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhando em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos Centros de Operações de Emergência (COE) desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares. Também tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Por Andreza Azevedo