Notícias Notícias

Voltar

Conscientização no HU aborda doenças inflamatórias intestinais

MAIO ROXO

Conscientização no HU aborda doenças inflamatórias intestinais

Evento reuniu profissionais e pacientes num ciclo de palestras.

O mês de maio trabalha a conscientização das doenças inflamatórias intestinais, padecimento que pode gerar muito estresse e inconvenientes para quem sofre com uma das diferentes enfermidades. Por isso, o Ambulatório de Clínica Cirúrgica do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), vinculado à Rede Ebserh, promoveu uma ação com palestras sobre o tema.

“Maio Roxo é o mês destinado à conscientização sobre doenças inflamatórias intestinais. O motivo desse movimento nacional gira em torno de tornar público o existir de patologias crônicas, graves, debilitantes, que podem levar a grande sofrimento e até a óbito”, explica a proctologista do HU-UFS, Ana Carolina Lisboa. Atualmente, o HU-UFS tem três ambulatórios que prestam assistência médica, de enfermagem, nutricional e psicológica para os pacientes com doenças inflamatórias intestinais, de forma integrada. “Realizamos a infusão de medicação de alto custo no centro de Pulsoterapia do HU-UFS e oferecemos colonoscopias e procedimentos cirúrgicos, quando necessários. Aprendemos que lutar pelo bem-estar do próximo é o nosso maior compromisso”, complementa a médica.

Além da proctologista, a assistente social Larisse Louise também palestrou sobre a temática. Os participantes escutaram, ainda, os depoimentos de pacientes portadoras da doença de Crohn. No final do evento, os pacientes do ambulatório prepararam uma homenagem surpresa aos profissionais, com flores e agradecimentos. “Todo ano é muita emoção. A proctologia é cuidado intenso”, resume a técnica em enfermagem do HU-UFS, Ilnar Pereira.

Sobre as doenças inflamatórias intestinais

As doenças inflamatórias intestinais, como a retocolite ulcerativa e a doença de Crohn, acometem pacientes jovens, geralmente entre 15 e 30 anos, com um segundo pico entre 50 e 80 anos. A ciência não tem uma explicação sobre a etiologia dessas enfermidades; acredita-se, porém, que seja multifatorial: alterações imunológicas, genéticas e ambientais podem desencadear um gatilho em cascata inflamatória desordenada e amplificada. Apesar de não terem cura, uma quantidade cada vez maior de pacientes consegue remissão completa com o uso de medicações regulares.

O registro de novos casos de doenças inflamatórias intestinais é cada vez maior, no Brasil e no resto do mundo, principalmente em países industrializados. Por isso, hospitais de referência como o HU-UFS mantêm grupos especializados para atendimentos dos pacientes, que vivenciam os seus dramas e as suas vitórias.

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

O HU-UFS faz parte da Rede Hospitalar Ebserh desde outubro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Por Luís Fernando Lourenço

Imagens: