Notícias Notícias

Voltar

HU recebe visita de associação nacional de doenças intestinais

SAÚDE

HU recebe visita de associação nacional de doenças intestinais

A colite ulcerativa e a doença de Crohn são as principais enfermidades do trato intestinal.

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), vinculado à Rede Ebserh, recebeu nesta quarta-feira, 23, a representante da Associação Nacional das Pessoas com Doenças Inflamatórias Intestinais (DII-Brasil), Patrícia Mendes. O objetivo da visita foi o de divulgar o trabalho da DII-Brasil e conscientizar o público hospitalar sobre a colite ulcerativa e a doença de Crohn.

De acordo com Patrícia, os pacientes com doenças inflamatórias intestinais precisam de apoio contínuo. “É sempre bom que as pessoas saibam que podem contar com a associação e ajudem a divulgar esse suporte. Às vezes, uma pessoa tem algum sintoma clássico da doença e faz um autodiagnóstico errado, como se tivesse comido algo que não tenha feito bem, por exemplo. Vale lembrar que todo o trabalho que a gente faz é gratuito”, ressalta. Segundo ela, o tempo médio para a busca do diagnóstico é de quatro anos, período em que o portador da doença, por falta de conhecimento, não acredita que os seus sintomas de dor e desconforto representem algo sério.

A coloproctologista do HU-UFS, Ana Carolina Lisboa, explica que, embora a doença intestinal inflamatória seja uma enfermidade crônica, o seu portador pode viver uma vida saudável. “As doenças com as quais a gente mais lida diariamente são a de Crohn e a retocolite. Elas têm um fundo imunológico, genético e ambiental, que impactam a qualidade de vida de crianças, adultos e idosos”, descreve a especialista, quem garante que o acompanhamento do paciente deve persistir durante toda a sua vida. “A visita da DII-Brasil é importante, porque precisamos fortalecer as políticas públicas atreladas ao nosso tipo de tratamento. Patrícia trouxe propostas para o próximo ano, que ajudarão na ampliação do atendimento ambulatorial”, garante.

O Ambulatório de Proctologia do HU-UFS é o pioneiro em Sergipe, criado há 15 anos. Atualmente, cerca de 400 pacientes são acompanhados por uma equipe multidisciplinar, com coloproctolgistas, gastroenterologistas, nutricionistas e outros profissionais relacionados.

Sintomas e tratamento

“Dor abdominal recorrente, distensão abdominal, diarreia com duração acima de 30 dias com muco e sangue, perda de peso importante e falta de apetite são os grandes sinais de alarme para as doenças inflamatórias intestinais”, detalha Ana Carolina.

A colonoscopia é o método que permite ver as lesões no interior do intestino e colher amostras dos tecidos. Os tratamentos são variados e incluem corticoides e imunossupressores, por exemplo. Nos últimos anos, novos agentes biológicos têm ajudado a reduzir a necessidade de cirurgias. No entanto, cada pessoa com a doença precisa ser acompanhada pelos profissionais de saúde e ter o seu tratamento personalizado, adaptado às suas condições.

Sobre a Ebserh

O HU-UFS faz parte da Rede Ebserh desde outubro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas.

Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede de Hospitais Universitários Federais atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Por Luís Fernando Lourenço