Notícias Notícias

Voltar

“Todos estão participando de forma integrada"

ENTREVISTA

“Todos estão participando de forma integrada"

A superintendente do HU-UFS explica as principais ações gerenciais tomadas até agora e deixa uma mensagem de agradecimento a todos que têm colaborado na luta contra a Covid-19.

Desde que começou a pandemia de Covid-19, o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), vinculado à Rede Ebserh, tem voltado todos os seus esforços para combater o novo coronavírus. A superintendente do HU-UFS, Angela Silva, faz um balanço parcial das ações mais importantes levadas a cabo até o momento.

HU-UFS - Quais foram as ações que a superintendência planejou para cuidar da saúde do trabalhador durante a pandemia?

ANGELA SILVA - Providenciamos as medidas de segurança, como a aquisição de EPIs [equipamentos de proteção individual]; constituição do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 para que todas as ações fossem executadas e acompanhadas; além da aquisição de testes sorológicos.

HU-UFS - Quais foram as orientações passadas para as gerências em relação à redistribuição da força de trabalho?

ANGELA - Tendo como base as sugestões do Comitê, Sost [Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho] e SCiras [Serviço de Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde], cada gerência foi orientada para tomar as medidas que fossem necessárias em cada momento. Todos estão participando de forma integrada para que as ações sejam mais efetivas.

HU-UFS - Como você avalia as questões relacionadas aos EPI’s? Quais foram as principais ações tomadas?

ANGELA - Em relação aos EPI’s, o HU-UFS contou com a colaboração essencial do Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público de Sergipe (MPSE), da Justiça Federal de Sergipe (JFSE) e do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). Sem a participação desses órgãos, não teríamos conseguido o quantitativo que foi adquirido. Aproveitamos este espaço para agradecer imensamente a colaboração. A sede da Ebserh [Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares] também participou de forma importante. Houve um grande desabastecimento no mercado e a oferta tem sido menor que a procura, com consequente elevação dos preços, o que causa um certo transtorno na aquisição.

HU-UFS - Qual é a importância da testagem setorizada dos colaboradores do HU-UFS?

ANGELA - Desde o início de abril que a Ebserh fez um pedido de compra [de testes] para todos os hospitais da Rede. Porém, com a falta do produto no mercado, as empresas vencedoras da licitação demoraram na entrega, o que só aconteceu na primeira semana de junho. Mas mesmo antes de esses kits chegarem, foi feita uma parceria com a Secretaria de Saúde de Sergipe, por meio da qual o HU-UFS recebeu 200 testes rápidos, que foram aplicados nos servidores da área Covid-19 e em alguns pacientes das áreas não Covid-19. O laboratório de pesquisa do professor Roque Almeida tem um aparelho para realização de exames de RT-PCR [Reverse transcription polymerase chain reaction, em inglês] e ele se disponibilizou a realizá-los. Com isso, foi adquirido pelo HU-UFS material para realização do RT-PCR para os trabalhadores sintomáticos e pacientes, quando necessário, da área não Covid-19. Para aplicação dos testes por setor, foi realizado um planejamento com a Sost, para que não haja aglomeração e desassistência nas unidades, visto que os servidores estão realizando a coleta em seus horários de trabalho.

HU-UFS - Qual é a sua avaliação do diálogo que a superintendência tem mantido com outras autoridades públicas envolvidas no enfrentamento à pandemia, como é o caso do MPT, MPF e MPSE?

ANGELA - A relação com os órgãos de controle tem sido transparente e frequente. A orientação colaborativa tem sido fundamental para a gestão do HU-UFS. Esses órgãos colaboraram na aquisição de EPI’s e de respiradores mecânicos. Fazem um trabalho de monitoramento próximo, firme e cordial. Ademais, o HU-UFS foi auditado pelos Conselho Regional de Medicina (CRM) e Conselho Regional de Enfermagem (Coren). Os relatórios emitidos por esses conselhos foram enviados aos ministérios públicos. Portanto, tem sido de grande importância o monitoramento pela transparência que a gestão do HU-UFS procura imprimir.

HU-UFS - Que mensagem de incentivo você gostaria de deixar para todos os colaboradores?

ANGELA - A governança do HU-UFS gostaria muito de deixar um agradecimento a todos os trabalhadores que, neste momento de angústia e medo, continuam a prestar uma assistência de qualidade, como referência na assistência para o estado de Sergipe. Só podemos dizer muito obrigada a todos e que Deus nos proteja. 

Atuação da Rede Ebserh

Para o enfrentamento da pandemia de Covid-19, a Rede Ebserh implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhando em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processos seletivos emergenciais com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Por Luís Fernando Lourenço