Notícias Notícias

Voltar

HU soma mais de 160 convocados em processos seletivos emergenciais

COMBATE À COVID-19

HU soma mais de 160 convocados em processos seletivos emergenciais

O trabalho em equipe da Divisão de Gestão de Pessoas e da Comissão Especial de Análises de Recursos conseguiu contratar quase 50 profissionais para atuarem na área Covid-19.

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), vinculado à Rede Ebserh, contabilizou 164 convocados nos dois processos seletivos emergenciais (PSEs nº 1/2020 e 2/2020) abertos para montar o suporte necessário à assistência na área Covid-19, formada pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria.

A ideia de investir em recursos humanos temporários no combate ao novo coronavírus partiu da sede da Ebserh, em Brasília, que projetou o certame para que os hospitais universitários da rede pudessem convocar os profissionais necessários às aberturas de leitos de UTI e enfermaria Covid-19. Os contratos assinados têm validade de seis meses, prorrogáveis por, no máximo, mais três períodos de seis meses, caso haja a necessidade de se manter, por mais tempo, as unidades especiais da Covid-19.

Das 164 convocações, o HU-UFS conseguiu contratar quase 50 pessoas.

Para a chefe substituta da Divisão de Gestão de Pessoas (DivGP) do HU-UFS, Cecilia Nascimento, toda a logística envolvendo a convocação e a contratação do pessoal temporário, embora crucial neste momento de crise, foi complexa e marcada por especificidades típicas de um momento de pandemia. “Tivemos que organizar uma estrutura completamente preparada para acompanhar editais, receber convocados, encaminhá-los para exames admissionais, receber e analisar documentação, ajustar escalas, dentre outras tarefas. Isso, é claro, tem de ser somado ao já grandioso número de atividades que a DivGP corriqueiramente tem. Foi um grande trabalho de equipe que nos fez encontrar novas maneiras de vencer o tempo e as adversidades do atual contexto”, resume a gestora.

Absenteísmo e reclassificação

Desde a primeira convocação, em abril de 2020, alguns fatores tornaram o processo de seleção mais difícil do que o habitual em certames não emergenciais. “Primeiro, podemos citar o absenteísmo, já que muitas pessoas não atenderam aos chamados dos editais e, por isso, não compareceram à DivGP. Em segundo lugar, temos de ressaltar uma característica muito peculiar de ambos os PSEs, que foi o fato de os candidatos se autoavaliarem no ato da inscrição; nesse sentido, a DivGP se deparou com várias pessoas cuja documentação de experiência profissional ou de títulos não correspondia com a nota autodeclarada, o que nos levou a ter de reclassificar todas elas”, explica Cecilia. A chefe da DivGP aponta, ainda, que alguns convocados não possuíam um ou mais requisitos editalícios para que fossem contratados nos empregos públicos temporários.

“Para auxiliar os trabalhos de convocações, a superintendência criou uma Comissão Especial de Análises de Recursos, que ficou responsável por analisar os recursos interpostos pelos candidatos contra as decisões da DivGP e assessorar no processo de eventual reclassificação desses convocados”, destaca a gestora. A Comissão multiprofissional está formada pela própria Cecília, por duas enfermeiras, um médico e um jornalista.

“Agradeço a todos que ajudaram a DivGP até agora. Vamos continuar realizando as convocações dentro das necessidades previstas e autorizadas, com foco na nossa prioridade atual: vencer, junto com a sociedade sergipana, a Covid-19”, garante Cecilia.

A chefe substituta da DivGP, Cecilia Nascimento. Foto: Ascom/HU-UFS.

Atuação da Rede Ebserh

Além do apoio ao ensino, formação e capacitação das equipes assistenciais, a Rede Ebserh implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional para o enfrentamento da pandemia. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhado em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processos seletivos emergenciais com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Por Luís Fernando Lourenço