Notícias Notícias

Voltar

Esperança e esforço: HU aproxima-se da vitória contra a Covid-19

REPORTAGEM

Esperança e esforço: HU aproxima-se da vitória contra a Covid-19

Profissionais de diversas áreas reuniram todas as suas forças no combate mais épico alguma vez enfrentado pelo HU-UFS.

Quando o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), vinculado à Rede Ebserh, recebeu o seu primeiro paciente com Covid-19 regulado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em 5 de maio de 2020, haviam-se passado mais de dois meses desde o primeiro caso confirmado no Brasil, em 26 de abril. Em Sergipe, a Secretaria estadual da Saúde registrou o primeiro caso em Aracaju no dia 14 de março. Entre o primeiro infectado oficial em Sergipe e a primeira internação no HU-UFS, seguiram-se semanas de tratativas com os gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) para a implementação de uma área Covid-19 com leitos de UTI e enfermaria.

Alguns dias antes da primeira internação de paciente com Covid-19 no HU-UFS, a superintendente Angela Silva já havia se pronunciado, publicamente, sobre o significado daquele momento de incerteza. A orientação sobre como tratar a doença era escassa. O HU-UFS iniciou as suas pesquisas, mas os resultados tardariam naturalmente a chegar.

“Para nós, que trabalhamos na área da saúde, esse cenário passa a ficar muito mais doloroso, pelo medo de ficar doente, de transmitir a doença para nossos familiares e de não sabermos quanto tempo, exatamente, isto durará”, disse Angela na última semana de abril, numa carta de esperança dirigida aos servidores do HU-UFS. “O medo é necessário na concepção da racionalidade; não ter medo nenhum significa loucura ou irracionalidade”, frisou a gestora.

Neste dia em que o Brasil completa seis meses da detecção oficial do primeiro caso de Covid-19, o HU-UFS elenca as suas principais ações e os momentos mais marcantes dessa trajetória.

O desafio da área Covid-19 no HU-UFS

Até hoje, não há uma resposta simples à pergunta: o que oferecer para pacientes infectados? Muitas coisas mudaram nos seis meses que o Brasil viveu desde a chegada oficial do vírus SARS-CoV-2 (sigla inglesa para coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2). A expressão Covid-19, que é a abreviação do inglês para doença do coronavírus de 2019, entrou definitivamente para o vocabulário do dia a dia.

Médicos do HU-UFS dizem que aprenderam sobre esse vírus altamente contagioso para resolver alguns problemas em muitos pacientes. Na verdade, o esforço de uma grande equipe multiprofissional pôde salvar várias vidas: enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, engenheiros, farmacêuticos, técnicos em farmácia, maqueiros, pessoal da higienização. A lista é grande e abarca todas as especialidades profissionais do HU-UFS; mesmo o servidor administrativo mais distante da área Covid-19 teve a sua importância na construção do trabalho desenvolvido.

Uma das primeiras medidas adotadas por Angela Silva foi a criação de um Comitê de crise para o Enfrentamento Institucional à Covid-19. “Lembro que uma das deliberações iniciais do grupo de trabalho foi a criação de uma central única para dispensação de equipamentos de proteção individual [EPIs] aos trabalhadores”, afirma a atual presidente do Comitê e chefe da Divisão de Gestão do Cuidado, Ana Paula Vasconcelos.

Na imagem, servidor do HU-UFS presta assistência na UTI geral. Mesmo as áreas não Covid-19 foram alvo de novos protocolos.

Protocolos

No campo da saúde, a mudança pode ser lenta, já que, frequentemente, as recomendações não se modificam antes de meses ou anos de estudos. Porém, os protocolos para a Covid-19 no HU-UFS evoluíram num ritmo nunca antes visto. Sem mencionar todas as atualizações realizadas do início da pandemia até agora, o HU-UFS elaborou mais de 40 procedimentos operacionais padrão (POPs), que servem como protocolos para guiar as atividades de todos os profissionais: administração de medicamentos, manejo de pacientes com problemas respiratórios e uso de EPIs são exemplos relevantes.

Para conhecer todos os POPs elaborados pelo HU-UFS durante a pandemia, clique aqui.

Exames para detectar a Covid-19

O HU-UFS entrou numa parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen-SE) para processar exames de Covid-19, após a assinatura de um termo de compromisso entre o Laboratório de Biologia Molecular da UFS e os Ministérios Públicos do Trabalho (MPT), de Sergipe (MPSE) e Federal (MPF). O objetivo foi oferecer suporte ao Lacen-SE para dar conta de uma demanda que crescia rapidamente.

“Nesta pandemia, observamos que resultados cada vez mais rápidos de exames ajudam a racionalizar o uso de EPIs e a oferecer o melhor tratamento possível ao paciente”, ressalta o gerente de Ensino e Pesquisa do HU-UFS, Roque Pacheco, quem também ocupa o cargo de diretor do Laboratório de Biologia Molecular da UFS.

Boletim da Saúde do Trabalhador

Uma das maiores ações de comunicação do HU-UFS durante a pandemia foi a criação de um Boletim da Saúde do Trabalhador. Um grupo formado por um jornalista, uma médica do trabalho, um engenheiro de segurança do trabalho, um técnico em segurança do trabalho e um assistente administrativo foi incumbido de produzir e publicar, semanalmente, as ações relacionadas ao cuidado com os colaboradores.

O Boletim, que já teve 15 edições, inovou como produto de comunicação interna e levou aos servidores do HU-UFS, além dos números referentes à pandemia, os relatos e as emoções dos trabalhadores que venceram a Covid-19 e que se tornaram super-heróis contra a doença. Ademais, a publicação deu transparência às atividades que a Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (Sost) e outras áreas desenvolveram para a saúde de todos os profissionais, independentemente da área de atuação.

Para conhecer e ler todas as edições já publicadas do Boletim da Saúde do Trabalhador, clique aqui.

O desafio dos processos seletivos emergenciais

Quando a pandemia começou, a Ebserh decidiu que deveria deflagrar processos seletivos emergenciais para contratação de pessoal temporário que pudesse atuar exclusivamente nas áreas Covid-19 dos hospitais universitários. Os editais foram publicados, os candidatos foram aprovados e, então, nasceu um grande desafio para as filiais: administrar o processo de convocação e contratação.

De forma estratégica, a Governança do HU-UFS criou uma Comissão Especial que pudesse auxiliar os trabalhos da Divisão de Gestão de Pessoas (DivGP), em particular a análise dos recursos interpostos pelos candidatos.

Para a coordenadora dessa Comissão Especial, Cecilia Nascimento, toda a logística envolvendo a convocação e a contratação do pessoal temporário, embora crucial neste momento de crise, foi complexa e marcada por especificidades típicas de um momento de pandemia. “Tivemos que organizar uma estrutura completamente preparada para acompanhar editais, receber convocados, encaminhá-los para exames admissionais, receber e analisar documentação, ajustar escalas, dentre outras tarefas. Isso, é claro, tem de ser somado ao já grandioso número de atividades que a DivGP corriqueiramente tem. Foi um grande trabalho de equipe que nos fez encontrar novas maneiras de vencer o tempo e as adversidades do atual contexto”, resume a psicóloga organizacional.

Telemedicina: uma chave para ajudar a superar a crise

Na situação de excepcionalidade, o HU-UFS vislumbrou que as visitas médicas teriam de ocorrer sem risco de contágio do novo coronavírus, já que o fato de evitar o contato físico entre pessoas é essencial para conter a expansão do vírus. Ademais, o oferecimento de consulta online pode ajudar a prevenir o autodiagnóstico e avaliar se a situação do paciente requer atenção médica presencial urgente ou não.

Até agora, o HU-UFS contabilizou 529 pacientes atendidos por telemedicina desde o início da pandemia.

Apoio psicológico

A crise da Covid-19 expôs parte do pessoal assistencial, especialmente aqueles na linha de frente, a situações de alto impacto emocional, que podem chegar a alterar o bem-estar psíquico do profissional. Para combater essas situações, o HU-UFS disponibilizou um serviço de apoio psicológico a todos os seus trabalhadores, de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e das 13h às 18h.

Além disso, um projeto de atenção psicossocial desenvolve arteterapia com os trabalhadores da área Covid-19. Nessas oficinas, os profissionais experimentam momentos de relaxamento por meio de recursos artísticos como a música, o desenho e a pintura.

Pesquisa

Nos últimos seis meses, o HU-UFS iniciou 16 projetos de pesquisa envolvendo a Covid-19 e, recentemente, publicou uma edição da Revista Interdisciplinar de Pesquisa e Inovação da UFS (Revipi – classificada como Qualis A2) com diversos trabalhos científicos sobre o tema. Atualmente, o HU-UFS ocupa a quarta posição na classificação nacional da Rede Ebserh em número de pesquisas sobre a Covid-19; no Nordeste, é o primeiro colocado junto com o Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI).

Entre os estudos, há investigações sobre características clínicas, genética, dermatite de contato, ivermectina, comportamento do profissional médico e impacto emocional.

Ambulatório de acompanhamento

A Covid-19 provavelmente provocará mudanças permanentes na medicina e no cotidiano das pessoas em coisas básicas como distanciamento social, uso de máscaras e lavagem correta das mãos. Além disso, o HU-UFS pensou numa forma de acolher trabalhadores e pacientes que tiveram a doença e precisam de acompanhamento: criou-se o Ambulatório de Complicações Pulmonares Pós-Covid-19.

De acordo com a pneumologista chefe da Unidade do Sistema Respiratório do HU-UFS, Luiza Doria, alguns pacientes e trabalhadores que tiveram Covid-19 podem ficar com sequelas e sintomas pós-doença. “Neste momento, não temos como afirmar que essas complicações posteriores são temporárias ou não. A impressão científica é a de que a maioria das alterações respiratórias causadas pela Covid-19 desaparece após algum tempo, embora a literatura ainda seja escassa. Por isso, queremos dar um apoio a essas pessoas, pacientes e colaboradores, que precisam se sentir seguros e acolhidos”, explica a gestora.

A pneumologista Alina Karime, que também atua na Sost como médica do trabalho, relata que percebeu a necessidade de encaminhar determinados trabalhadores recuperados da Covid-19 para o ambulatório após realizar alguns atendimentos e identificar as sequelas. “Segundo as regras da Sociedade Brasileira de Pneumologia, esses colaboradores têm de ser avaliados entre intervalos de um, três, seis e 12 meses. Com base na literatura sobre outros coronavírus, alguns acompanhamentos tendem a durar aproximadamente dois anos”, detalha a médica.

O “novo” normal

Com a proximidade do final da batalha contra a Covid-19, o HU-UFS começa a retomar as suas atividades habituais, especialmente os atendimentos ambulatoriais. A presidente do Comitê de crise, Ana Paula Vasconcelos, propôs à Governança um retorno gradual, monitorando a efetividade do processo, alinhado às instruções do gestor do SUS em Aracaju.

Durante o processo de tomada de decisões para o retorno, o HU-UFS considerou as suas próprias diretrizes e das demais autoridades e instituições como o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS). “Junto com a Unidade de Comunicação, promovemos também uma campanha visual dentro do prédio ambulatorial para fortalecer as medidas de higiene, distanciamento social e uso obrigatório de máscara”, destaca Ana Paula.

As medidas de distanciamento físico também continuam por todo o HU-UFS, com o álcool em gel a 70% em diversos pontos. Nos locais em que funcionam os serviços de recepção, a Governança tem providenciado barreiras físicas para manter a distância adequada entre o recepcionista e os pacientes. “A higienização das superfícies tem sido igualmente intensificada”, garante a gestora.

Essas mesmas orientações valem para o serviço de exames do HU-UFS, que também retorna gradualmente para atender os encaminhamentos dos serviços ambulatoriais e da contratualização com o gestor do SUS em Aracaju.

Enquanto a iminente vitória sobre a Covid-19 não chega, o HU-UFS registra as frases mais emblemáticas ditas por aqueles que formam a sua grande família. São palavras que resumem os últimos meses. São palavras desenhadas pelas vozes dos que deram entrevistas, dos que relataram as suas angústias, dos que contaram as suas façanhas e dos que, sobretudo, acreditaram na superação da pandemia.

 

“Agradeço a todos os colaboradores que, neste momento de angústia e medo, continuam a prestar uma assistência de qualidade, como referência para Sergipe”.

Angela Silva, superintendente do HU-UFS.

Covid-19: mensagem da superintendente aos servidores do HU-UFS - Notícias - EBSERH

 

“Quando acabar a pandemia, promoveremos um evento de homenagem a todos que, de alguma forma, fizeram doações ao nosso hospital”.

Edelzio Costa, gerente administrativo do HU-UFS.

Programa gerido pela Ebserh libera R$ 843 mil para HU-UFS - Notícia destaque - EBSERH

 

“Queremos que as pesquisas tragam as boas notícias que tanto esperamos”.

Roque Pacheco, gerente de Ensino e Pesquisa do HU-UFS.

HU implanta serviço de teleorientação durante pandemia - Notícia destaque - EBSERH

 

“Que possamos aprender com essa crise vivenciada e tornar-nos melhores no amor, melhores no cuidar e melhores no ser”.

Marcos Albuquerque, gerente de Atenção à Saúde do HU-UFS.

HU conquista 11ª classificação em ranking da SBA - Notícia destaque - EBSERH

 

“Tempos difíceis exigem uma dose extra de sabedoria, sensibilidade e coragem”.

Ana Paula Vasconcelos, presidente do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 e chefe da Divisão de Gestão do Cuidado do HU-UFS.

HU-UFS obtém primeiro lugar em avaliação do HAOC - Notícia destaque - EBSERH

 

“Os momentos mais emocionantes numa crise são aqueles em que nos enchemos de alegria diante da solidariedade das pessoas”.

Antonio Sousa, chefe da Unidade do Sistema Cardiovascular do HU-UFS.

 

“Mesmo diante do medo, tente cultivar pensamentos positivos e de otimismo; isso alivia a ansiedade em meio às incertezas do momento”.

Raimundo Saturnino, chefe da Divisão de Apoio Diagnóstico e Terapêutico do HU-UFS.

Enfermaria, retaguarda, UTI: as diferenças técnicas entre os leitos – Infonet – O que é notícia em Sergipe

 

“A gratidão pela vida supera qualquer receio pela doença”.

Flávia Costa, chefe do Setor de Apoio Diagnóstico do HU-UFS.

HU capacita municípios para maior agilidade em triagem neonatal - Notícia destaque - EBSERH

 

“O carinho da família e de amigos foi aconchego nos momentos de maior exaustão”.

Jacqueline Cabral, chefe da Unidade de Cirurgia do HU-UFS.

 

“Foi um grande trabalho de equipe que nos fez encontrar novas maneiras de vencer o tempo e as adversidades do atual contexto”.

Cecília Nascimento, psicóloga organizacional e chefe substituta – do início da pandemia até o final de julho – da DivGP do HU-UFS.

HU soma mais de 160 convocados em processos seletivos emergenciais - Notícia destaque - EBSERH

 

“Ouvir o outro, mesmo sem falar nada, também é uma forma de cuidado”.

Antonio Aragão, psiquiatra do HU-UFS.

Depressão: falta de tratamento pode levar ao suicídio - Notícia destaque - EBSERH

 

“Todo ato de ajuda é válido; em breve, a gente vai sair desta pandemia”.

Mateus Souza, técnico em segurança do trabalho do HU-UFS.

Relato de Mateus Souza - EBSERH

 

“Passei a dar valor ao agora, ao estar junto, ao se declarar para quem amamos agora”.

Ilnar Pereira, técnica em enfermagem do HU-UFS.

Conheça a história de superação da Covid-19 no relato da técnica em enfermagem, Ilnar Pereira.

 

“Primeiramente, agradeço a Deus. Em segundo lugar, agradeço ao HU-UFS e a toda a equipe que cuidou muito bem de mim, com carinho e atenção”.

José Cleber, primeiro paciente de alta da UTI Covid-19.

Relato de José Cleber - EBSERH

Atuação da Rede Ebserh

Entre as ações realizadas pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) nesse período estão a disponibilização de recursos específicos para o combate à pandemia, a contratação emergencial de profissionais temporários, a promoção de atividades de saúde digital, a realização de capacitações online e presenciais, obedecendo os protocolos de segurança, e o incentivo e apoio a 236 pesquisas e estudos científicos.

26082020 seis meses covid-19 - info 2.png

*Nenhuma das fotografias desta reportagem ilustra a área Covid-19 do HU-UFS ou os trabalhadores em atuação contra a pandemia. Devido aos rígidos protocolos de segurança impostos à área Covid-19 e ao processo próprio de paramentação dos servidores, a Unidade de Comunicação Social não pôde obter imagens específicas do dia a dia do combate ao novo coronavírus.

*Créditos das imagens em preto e branco a José Augusto Barreto Filho/créditos das demais imagens ao banco de dados da Ascom/HU-UFS-EBSERH (fotos próprias e cedidas de arquivos pessoais).

*Créditos das informações nacionais à Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh.

Por Luís Fernando Lourenço