Notícias Notícias

Voltar

Laboratório do HU inicia processamento de exames para detectar Covid-19

EXAMES

Laboratório do HU inicia processamento de exames para detectar Covid-19

Inicialmente, o laboratório está realizando os exames em pacientes internados no HU, residentes e funcionários sintomáticos.

O Laboratório de Biologia Molecular do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), começou nesta semana a integrar a rede de diagnóstico de Sergipe, realizando exames que detectam a Covid-19.

De acordo com o responsável pelo Laboratório, Roque Pacheco, que é também gerente de Ensino e Pesquisa do HU-UFS, a capacidade atual de processamento do laboratório chega a uma média de 90 exames diários para a detecção da Covid-19.

“Caso a amostra seja coletada até as 9h, o resultado do exame é providenciado no mesmo dia. Após esse horário, o laboratório consegue dar o resultado somente no dia seguinte. Essa agilidade no resultado do exame é fundamental para a gestão de leitos e para dar mais segurança aos profissionais que estão na linha de frente do hospital”, ressalta Roque.

Além do Laboratório de Biologia Molecular do HU-UFS, outra esfera atua como parceira para que o fluxo dos exames siga corretamente. Trata-se do Setor de Apoio Diagnóstico do HU-UFS, comandado pela farmacêutica Flávia Costa.

“Inicialmente, o Laboratório de Biologia Molecular está realizando os exames em pacientes internados, residentes e funcionários sintomáticos. A coleta é feita no Laboratório de Análises Clínicas do HU, que fica no prédio central do hospital”, informa Flávia, ressaltando que existe um fluxo que precisa ser seguido. “O encaminhamento para o exame é feito via Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (Sost) do HU e todas as notificações exigidas pela vigilância epidemiológica são realizadas”, garante a chefe do Setor de Apoio Diagnóstico.

ACP

O Laboratório de Biologia Molecular do HU-UFS conseguiu iniciar a realização dos exames após investigações que resultaram em uma ação civil pública proposta contra a União com pedido de regularização do abastecimento de insumos essenciais no Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen). Na oportunidade, verificou-se a necessidade de aquisição de insumos e da realização de serviços de manutenção e calibragem do equipamento do Laboratório do HU que realiza os exames RT-PCR, valor orçado em cerca de R$ 15 mil.

Diante da informação, os Ministérios Públicos firmaram termo de compromisso com o laboratório do HU para destinar R$ 8.612,43, a fim de que fosse realizada a manutenção preventiva do equipamento, e R$ 6.337,46, para aquisição de kit de calibração espectral. Após a destinação dos recursos e a realização dos procedimentos necessários, o Lacen validou o equipamento e habilitou o laboratório do HU para o processamento dos exames.

“Um exame como esse custa cerca de R$ 500 na rede privada. O custo que o HU tem hoje é com material e pessoal. A depender de ajustes com a Secretaria de Estado da Saúde, em relação a insumos e pessoal, esses exames podem ser ampliados para pacientes da Unidades de Pronto Atendimento ou mesmo pacientes com suspeita da doença que dependam de um diagnóstico efetivo para internação”, pontua Roque Pacheco.

“O HU só tem a agradecer aos Ministérios Públicos Federal, do Trabalho e do Estado de Sergipe pelo empenho que possibilitou o processamento dos exames pelo HU, um reforço ao trabalho que vem sendo realizado pelo Lacen. Isso beneficia também a produção de dados epidemiológicos muito importantes, que permitem conhecer o comportamento da doença em Sergipe”, complementa.

Atuação da Rede Ebserh

Além do apoio ao ensino, formação e capacitação das equipes assistenciais, a Rede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional para o enfrentamento da pandemia. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhado em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processos seletivos emergenciais com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Por Andreza Azevedo, com informações do Assessoria de Comunicação do MPF-SE.

Imagens: