Notícias Notícias

Voltar

Central orienta famílias sobre importância e impacto da amamentação

Aleitamento

Central orienta famílias sobre importância e impacto da amamentação

Agosto Dourado tem programação para incentivo e orientação sobre importância da amamentação

A equipe da Central de Incentivo ao Aleitamento Materno (Ciam) do Hospital da Universidade Federal de Santa Catarina (HU-UFSC) encerrou nesta quarta-feira, 7, a comemoração da Semana Mundial da Amamentação mas a programação continua durante todo o mês, chamado de Agosto Dourado, com o tema “Empoderar mães e pais para favorecer a amamentação”.

No dia 27 de agosto, profissionais do HU vão conduzir uma roda de conversa com gestantes do hospital e da comunidade para falar sobre manejo do aleitamento materno e nutrição na gravidez. A atividade é aberta ao público.

Um dos objetivos desta campanha é destacar a importância do envolvimento de familiares e rede de apoio, para que seja possível a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses de vida e complementar até os dois anos de idade ou mais, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde.

Estudos confirmam que a amamentação oferece inúmeros benefícios para crianças e mulheres. É a intervenção com maior potencial para reduzir a mortalidade infantil. “Se todas as crianças fossem amamentadas, poderiam ser prevenidas anualmente mais de 820 mil mortes de crianças com menos de cinco anos de idade em todo o mundo; bem como evitar 20 mil mortes de mulheres por câncer de mama”, explicou a enfermeira Isabel Maliska, coordenadora da Ciam em material divulgado para a imprensa.

Segundo ela, embora a sociedade esteja tomando conhecimento da importância do aleitamento materno algumas mulheres não conseguem amamentar, sendo alguns dos principais motivos a falta de informação e apoio.

“Neste sentido, considera-se que a mulher não é exclusivamente responsável pelo sucesso da amamentação. A participação do pai, da família, dos profissionais de saúde, da sociedade e das políticas públicas, cada um desempenhando seu papel, podem em muito contribuir para a promoção do aleitamento materno”, explicou.

Já em relação aos profissionais de saúde, o papel é de promoção e proteção do aleitamento materno. “Estes profissionais podem empoderar mães e pais, esclarecendo dúvidas, medos e crenças, oferecendo informações atualizadas, auxiliando frente às dificuldades e respeitando as escolhas sem julgamentos”, afirmou a enfermeira.

No HU, a Central de Incentivo ao Aleitamento Materno atua junto as mulheres, bebês, pais e acompanhantes atendidos na maternidade, junto a grupos de gestantes da comunidade, preparando os futuros pais para esta prática  e mantém suas portas abertas à comunidade através de demanda espontânea.

 

Campanha do Aleitamento 2019
O objetivo desta campanha é destacar a importância do envolvimento de todos os familiares próximos, e não apenas da mãe, para que seja possível a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses de vida e complementar até os dois anos de idade ou mais
O aleitamento materno requer informação baseada em evidências científicas e uma rede de apoio
Os profissionais de saúde têm papel relevante, pois podem EMPODERAR mães e pais dialogando sobre o aleitamento materno, esclarecendo dúvidas, medos e crenças; dando informações atualizadas e embasadas em evidências; orientando o manejo das eventuais dificuldades ao longo do processo da amamentação; e, sobretudo, escutando, elogiando quando pertinente, e respeitando as escolhas sem julgamentos