Notícias Notícias

Voltar

HU usa tecnologia para mitigar risco de contaminação por coronavírus na triagem de pacientes

Tecnologia

HU usa tecnologia para mitigar risco de contaminação por coronavírus na triagem de pacientes

Sistema de gerenciamento de filas dispensa contato com totem ou papel para senha, reduzindo riscos de contágio

O Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) está usando um sistema de gerenciamento de fila e chamada de pacientes, na área de triagem das pessoas que chegam com sintomas respiratórios, que ajuda a mitigar risco de contaminação por coronavírus. Trata-se de um sistema automatizado que dispensa contato com papel ou totem para senha.
Na prática, o paciente é chamado pelo nome por um sistema totalmente automatizado que organiza a chamada de voz e controla a fila. O recepcionista insere o nome do paciente na fila desejada e, na hora do atendimento, aparece o nome do paciente numa tela e uma voz automática o chama pelo nome e direciona para o local de atendimento.
O chefe do Setor de Gestão da Informação e Informática do HU, Renato Antônio Leal, disse que a implantação do serviço foi rápida e sem necessidade de grandes adequações na parte técnica, pois o sistema funciona em rede, já disponível na infraestrutura do HU-UFSC. A TV utilizada na triagem já era do patrimônio do hospital.
O sistema, chamado de Qualprox NoPrint, foi cedido pela empresa Specto, sem custo para o HU. De acordo com o diretor de mercado e inovação, Leonardo Lino Vieira, o sistema garante o atendimento sem qualquer tipo de contato, protegendo tanto o funcionário quanto o paciente. “Tanto eu quanto o presidente Leônidas e diversos profissionais da empresa somos ex-alunos da UFSC e, em contato com um médico do HU, decidimos por ceder este sistema, que está implantado desde abril”, explicou.
Desde o início da pandemia, o HU adotou uma série de medidas para mitigar a contaminação, criando um fluxo separado pacientes com sintomas respiratórios, além de alterar o local de circulação dos colaboradores para registro de ponto (que fica separado da área de entrada de pacientes e visitantes) e adotar outras medidas, como a distribuição de máscaras.
Com a mudança de fluxo criada para atendimento durante a pandemia no HU, foi preciso deslocar o registro de atendimento e sala de espera para uma tenda que fica distante 15 metros da Emergência (para onde os pacientes são encaminhados). Para reduzir os riscos de contato físico nesta tenda é que foi instalado o sistema automático de gerenciamento de filas.

Unidade de Comunicação Social HU-UFSC