Prevenção Prevenção

Voltar

Unidade de Neurofisiologia do HU passa a oferecer novo serviço em Santa Catarina, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS)

Saúde

Unidade de Neurofisiologia do HU passa a oferecer novo serviço em Santa Catarina, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS)

Equipamento, adquirido por meio da Associação Amigos do HU, é um marco na história da instituição

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina - Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC) iniciou uma nova fase na recém-inaugurada unidade de Neurofisiologia,que passa a oferecer os serviços do exame de Eletroneuromiografia em Santa Catarina, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), além de ampliar a capacidade de atendimento dos serviços prestados pela instituição e a área de pesquisa no estado.

O exame de eletroneuromiografia analisa a função do sistema nervoso periférico, deve ser realizado por um médico neurofisiologista com título de especialista em Neurofisiologia Clínica, auxiliando na detecção da localização, tempo de evolução, e gravidade de uma lesão em nervo ou músculo, ou seja, é exame importante na investigação diagnóstica de doenças neuromusculares.

Este exame consiste em duas etapas: o Estudo da Condução Nervosa (que analisa o funcionamento do nervo) e o Estudo de Eletromiografia, realizado com eletrodo de agulha para registro das atividades da unidade motora (para analisar a função muscular).

A neurofisiologista Gisele Espíndola explicou que o exame ajuda em suspeitas clínicas de doenças como a síndrome do túnel do carpo, neuropatias, miopatias, radiculopatias, entre outras. “Trata-se de um procedimento complexo e de suma importância para auxílio no diagnóstico de diversas áreas médicas como neurologia, reumatologia, ortopedia e  endocrinologia, chegando a durar duas horas por paciente”, explicou.

Gisele Espíndola lembrou que a aquisição do equipamento, como toda a construção da unidade, é resultado do esforço de vários profissionais, com destaque para o médico Rinaldo Claudino, que fez várias gestões no sentido de conseguir recursos para aquisição do material. “É importante lembrá-lo nesta grande jornada que foi conseguir o aparelho. O aparelho e a unidade foram fruto de muito esforco e dedicação de muitos de nós”, resumiu.

A médica afirmou, ainda, que o exame ajudará na demanda do Sistema Único de Saúde (SUS), com fila de espera de aproximadamente 3 mil pessoas, contribuindo para a rede pública, ampliando a capacidade de atendimento para a população no Estado.

“Além disso, existe uma interface com a pesquisa e ensino, pois temos graduandos e residentes em Neurologia que acompanham este tipo de exame, fazendo parte da grade de aprendizado destes novos profissionais”, acrescentou a médica.

A equipe que realiza os exames é formada pelos neurofisiologistas, Gisele Espíndola e André Dias de Oliveira. Segundo ela, são atendidos pacientes internados e de ambulatório, que vêm da regulação do Estado, agendados via Sisreg. A expectativa é de que sejam realizados cerca de 15 exames por semana. O equipamento foi doado ao HU em 2016, por meio Associação Amigos do Hospital Universitário da UFSC (AAHU).

No HU, a Unidade de Neurofisiologia serve como apoio diagnóstico para pacientes internados e atendidos no ambulatório, num total de 3.840 pacientes por ano, explicou a professora da UFSC Kátia Lin, chefe do Serviço de Neurologia do HU.

"Além do atendimento aos pacientes, mais de R$ 1,5 milhão em equipamentos de última geração foram instalados no local, permitindo a realização de pesquisas de ponta na área de Neurologia através da rede de colaboração da equipe de Neurologia do HU/UFSC com pesquisadores nacionais e internacionais das áreas de Neurociências e Engenharia, financiados pela FINEP, CNPq, CAPES e FAPESC”, acrescentou a professora.

Com este mais novo procedimento ofertado na Unidade de Neurofisiologia, o HU amplia o leque de serviços oferecidos para os pacientes no Estado, seguindo uma série de serviços e setores que foram inaugurados no ano passado, quando foram investidos R$ 3 milhões em reformas e adequações estruturais.