Saúde Saúde

Voltar

HU lança programa para uso racional e consciente de antibióticos

Saúde

HU lança programa para uso racional e consciente de antibióticos

Semana Mundial de Conscientização sobre Antimicrobianos vai 18 a 24 de novembro deste ano

A implementação de programas para o uso racional de antibióticos é uma das diretrizes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e uma das maiores preocupações das autoridades em saúde pública no mundo e, dentro desta linha, o Hospital da Universidade Federal de Santa Catarina Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) implantou um programa para avaliar, controlar e reduzir o uso destes medicamentos, por meio de uma equipe multidisciplinar que atua juntamente com todos os médicos da instituição e já apresenta resultados significativos.

O Programa de Gerenciamento de Uso de Antimicrobianos foi implantado em fevereiro, na Emergência do HU, como projeto piloto e, a partir de maio, passou para todas as unidades assistenciais. Por meio de planilhas eletrônicas, a equipe do programa fica sabendo em tempo real quando um antibiótico está sendo receitado. A partir daí, é feita a avaliação desta prescrição, o acompanhamento do caso, com intervenção e orientação quando necessário.

O infectologista  do Serviço de Controle de Infecções Hospitalares (SCIH) Sérgio Beduschi Filho, que é líder do time executor do programa no HU, explicou que, com as informações disponibilizadas em tempo real, os membros da equipe podem saber a necessidade da prescrição, além de avaliarem se dosagem está adequada e outras intervenções que ajudem a racionalizar o uso do medicamento.

“Já se percebeu redução no uso de antimicrobianos no HU”, explicou Sérgio Beduschi, acrescentando que, com o programa, houve uma aproximação maior de membros da equipe, da qual participam farmacêuticos e infectologistas, com os médicos prescritores (aqueles que passam a receita para o paciente).

“O médico, sabendo que conta com a opinião e supervisão de especislistas, sente-se mais seguro ao prescrever antimicrobianos”, resumiu o infectologista, acrescentando que, normalmente, os médicos procuram o SCIH para buscar informações quando têm dúvidas e, agora, com o programa, esta interação é mais efetiva e eficaz.

Segundo ele, além disso, o programa oferece uma melhor assistência ao paciente com infecção, reduzindo efeitos adversos e reduzindo o impacto causado pelo uso de antimicrobianos. “Entram ainda como fatores positivos o menor custo para o hospital, decorrente do uso racional, e um tratamento mais efetivo e especializado de infecções”, explicou o médico, lembrando da importância destes medicamentos e do impacto de seu uso na saúde global.

“Desde a sua descoberta em 1945, os antimicrobianos têm servido como a pedra angular da medicina moderna. No entanto, o uso excessivo e persistente desses medicamentos na saúde humana e animal levou ao surgimento e à disseminação da resistência aos antimicrobianos. Esse fenômeno ocorre quando microrganismos, como as bactérias, tornam-se resistentes às drogas usadas para tratar as infecções causadas por eles, deixando-nos sem opções terapêuticas para diversos tipos de infecções como pneumonias e infecções urinárias, levando, desta forma, os indivíduos à óbito por falta de tratamento”, relata a Anvisa em seu site.

Para alertar sobre esta realidade, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou a Semana  Mundial de Conscientização sobre Antimicrobianos, que vai de 18 a 24 de novembro neste ano. O objetivo é aumentar a conscientização sobre a resistência global aos antimicrobianos e incentivar as melhores práticas entre o público em geral, profissionais de saúde e formuladores de políticas para evitar o surgimento e a disseminação da resistência aos antimicrobianos.