Notícia Notícia

Voltar

Pacientes com câncer ganham Dia da Beleza

Outubro Rosa

Pacientes com câncer ganham Dia da Beleza

Programação incluiu maquiagem, doação de perucas, oficinas de lenço e apresentações

O nome já diz tudo: dia da beleza. Nessa segunda-feira (14), as pacientes do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) com câncer de mama tiveram um tratamento diferenciado que colocou a autoestima delas lá no alto. A programação incluiu maquiagem, corte de cabelo, design de sobrancelha, tratamento facial e oficina de lenços. Teve também aula de alongamento, apresentações de dança e de teatro, palestra sobre empoderamento e autoestima e sorteio de brindes.

“Fazer esse evento dentro do hospital, na sala de espera da quimioterapia, que é sempre relacionada com dor, quebra a percepção de que aqui é um lugar de sofrimento. É lugar também de amor, de esperança e de cuidado”, explica a chefe da Unidade de Oncologia do HUB, Jucileia Rezende.

O evento faz parte das comemorações do Outubro Rosa, mês dedicado à prevenção do câncer de mama. O encontro é organizado pela Liga de Combate ao Câncer da Universidade de Brasília (LCC-UnB) desde 2011, em parceria com o HUB. “Oferecemos um momento de cuidado, promoção de autoestima e apoio mútuo. É importante que elas vejam que outras mulheres estão passando pelo mesmo problema, isso fortalece”, afirma a coordenadora da liga, Paula Diniz.

Roberta de Andrade é empresária e há oito anos participa do evento como voluntária. Ela arrecada cabelo e confecciona perucas, que são doadas para as pacientes. “Elas já têm tantas perdas com a doença que tento encontrar algo que está perdido. Quando elas se olham no espelho, elas se encontram”, conta Roberta. 

Maria Aparecida Soares, de 48 anos, descobriu o câncer há cinco meses. Perdeu o cabelo durante o tratamento e saiu do evento feliz com um novo penteado. “Vou ter meu cabelo de volta, vou me sentir mais feliz e sair mais de casa”, garante. “No ano passado, estava fazendo quimioterapia no dia do evento e este ano estou aqui. É uma grande vitória”, comemora Cláudia Belchior, de 54 anos, que descobriu o câncer em 2017. “Eu amo esse dia, amo ver minhas amigas, conversar, amo essa bagunça toda”, completa Maurina Leite, de 56 anos, em tratamento desde 2016. 

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB