Notícia Notícia

Voltar

HUB elimina infecção do trato urinário na UTI

Segurança do paciente

HUB elimina infecção do trato urinário na UTI

Meta já alcançada pelo HUB era reduzir três tipos de infecção em 50% até o final de 2020

Foi um ano de muito trabalho e dedicação. Mas todo o esforço valeu a pena. Em 2019, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) superou as metas previstas no projeto Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil. A meta de reduzir em 50% a incidência de três tipos de infecção relacionada à assistência até o final de 2020 já foi cumprida e ultrapassada pelo HUB, um ano antes do prazo.

A equipe conseguiu não só reduzir pela metade, mas eliminar a taxa de infecção do trato urinário (ITU). Há 12 meses, não é registrada nenhuma infecção desse tipo na UTI. No último mês, também não foram registradas infecções da corrente sanguínea associada ao uso de cateter venoso central (CVC). Já a taxa de infecção relacionada a pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) foi reduzida em 52%.

“Não conseguiríamos alcançar essas metas sem a participação da equipe, que entendeu e abraçou o projeto. Mostramos que somos capazes e, agora, temos que manter essa cultura”, afirmou a superintendente do HUB, Elza Noronha, durante a ronda realizada no UTI no dia 16 de dezembro para avaliar as mudanças. 

O cuidado da equipe também é percebido pelos pacientes e acompanhantes. “Fico mais tranquila em saber que o hospital se preocupa com as infecções. É tudo muito higienizado, a equipe é muito cuidadosa”, garantiu a dona de casa Aldenira de Oliveira, que acompanha a mãe de 80 anos internada na UTI. “Ver que o paciente sai daqui mais feliz quando observa que estamos cuidando dele melhor é muito gratificante”, comemorou a técnica em enfermagem Katiara Pereira.

A meta, agora, é manter as melhorias alcançadas e reduzir o número de infecções que ainda existem. Para isso, o HUB quer reforçar entre a equipe a necessidade de higienizar as mãos e vai disponibilizar mais dispositivos de álcool em gel na UTI. “Todo processo aqui dentro começa na higienização das mãos, faz parte da nossa rotina diária. Precisamos reforçar a importância desse ato tão simples para aumentar a adesão”, explicou a líder do projeto no HUB, Márcia Campara. 

O projeto
Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil é uma iniciativa desenvolvida pelo Ministério da Saúde, em parceria com os cinco hospitais de excelência que participam do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS): Sírio-Libanês (SP), Israelita Albert Einstein (SP), Alemão Oswaldo Cruz (SP), Hospital do Coração (SP) e Moinhos de Vento (RS), sendo este último o tutor do HUB. 

A instituição firmou o compromisso em dezembro de 2017, mas as atividades práticas iniciaram em março de 2018. No dia a dia, a equipe conta com algumas estratégias para a execução das atividades. Os profissionais estão divididos em três times, responsáveis por cada tipo de infecção. Mensalmente, um integrante de cada grupo apresenta os resultados obtidos. Outra ferramenta que ajuda no compartilhamento de informações é o quadro explicativo disponível no serviço, com atualização periódica dos dados do programa.

Assessoria de Comunicação do HUB