Notícia Notícia

Voltar

HUB reforma e amplia subestações de energia

Infraestrutura

HUB reforma e amplia subestações de energia

Investimento de R$ 16,8 milhões possibilitou dobrar a capacidade energética do hospital

O dobro da capacidade elétrica, mais qualidade e segurança a distribuição de energia, cobertura de geradores em todas as áreas e sistemas automatizados. Esses são os principais ganhos da obra de ampliação e modernização das subestações do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB). A cerimônia de entrega ocorreu nesta sexta-feira (24), às 10h, na subestação central. O evento foi transmitido ao vivo pela internet para restringir o número de participantes presencias e garantir as medidas de proteção ao novo coronavírus.

“Essa é a concretização de um desafio assumido em outubro de 2019, que representa a sustentabilidade energética para o HUB e que só foi possível pela parceria com a Ebserh e a UnB e o apoio dos técnicos do hospital”, afirmou a superintendente do HUB, Elza Noronha. A reitora da Universidade de Brasília (UnB), Márcia Abrahão, reforçou a importância do trabalho em conjunto e disse que o momento é de união. “A obra é um exemplo de como essa parceria tem dado certo, trazendo qualidade para o ensino, a pesquisa e a extensão na área da saúde”, declarou.

O valor do investimento foi de R$ 16,8 milhões. Os recursos são do Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), geridos pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). “Tornamos realidade algo que é essencial para a infraestrutura. A obra poderá oferecer condições seguras tanto para o profissional, como para os alunos e os pacientes. É uma missão que está sendo cumprida”, avaliou o presidente da Ebserh, Oswaldo Ferreira. “Este talvez seja um marco na história do HUB, que estava chegando em um ponto crítico em relação à instalação de novos equipamentos for falta de estrutura”, disse o diretor vice-presidente da empresa, Eduardo Vieira.

A transmissão online contou com a participação de 56 pessoas, entre colaboradores e gestores do HUB, da Ebserh e da UnB. Entre eles, os diretores de Atenção à Saúde da empresa, Giuseppe Cesare Gatto, da Faculdade de Medicina da universidade, Gustavo Romero, e da Faculdade de Ciências da Saúde, Laudimar Alves de Oliveira.

A obra
São aproximadamente mil metros quadrados de novas construções, formadas por uma subestação central, duas subestações menores e uma cabine de medição, responsável pela seleção e proteção do circuito de energia. Outras duas subestações foram reformadas, e uma outra, atualizada.

A subestação central é a maior estrutura construída. Localizada em frente à Unidade de Oncologia (Unacon), a área fica no subsolo e abriga 3 subestações, 4 novos geradores, mais de 200 disjuntores e 4 reservatórios de óleo diesel, que mantêm o funcionamento de todo o sistema de distribuição de energia. A capacidade é de 12 mil litros, o que garante a alimentação de todo o hospital por sete dias sem precisar de reabastecimento. Em cima da subestação central será criada uma praça de convivência para uso de pacientes e colaboradores.

A obra começou em agosto de 2019 e depende da aprovação final do projeto de energização pela Companhia Energética de Brasília (CEB) para entrar em funcionamento.  

Benefícios
A capacidade elétrica do hospital dobrou, passando de 1,5 mil kVA para 3 mil kVA. É como se o HUB pudesse ligar 680 chuveiros elétricos ao mesmo tempo sem qualquer falha. Essa ampliação permitirá aumentar serviços e instalar mais equipamentos, como aparelhos de ar-condicionado, o que não era possível anteriormente.

A nova estrutura também garantirá o fornecimento ininterrupto de energia em todo o HUB, mesmo se houver falta ou queda na CEB, com a implantação de quatro novos geradores para emergências. O equipamento antigo cobria apenas as áreas críticas. A manutenção será feita preventivamente, com identificação e resolução de problemas de forma antecipada.

A nova estrutura de distribuição de energia será supervisionada, com monitoramento via sistema online 24 horas e emissão de alertas se houver qualquer falha no circuito ou em equipamentos. As subestações também contarão com sistemas de reaproveitamento de água da chuva, de combate a incêndios e de proteção contra descargas elétricas.

Na prática, essas melhorias representam o funcionamento confiável de todos os equipamentos médico-hospitalares, computadores, sistemas, iluminação e qualquer serviço que dependa de energia para funcionar. O resultado é a melhoria da assistência ofertada ao paciente e do ambiente de trabalho aos colaboradores.

Imagens:

Vídeo:

Assessoria de Comunicação do HUB