Notícias Notícias

Voltar

HUB e HRL realizam 34 cirurgias de vasectomia

Mutirão

HUB e HRL realizam 34 cirurgias de vasectomia

Esforço realizado em três dias faz parte do projeto de linha de cuidado em saúde do homem

Foram agendadas 34 cirurgias de vasectomia em três dias. Entre os pacientes, estão 16 trabalhadores da zona rural e 18 homens que aguardavam pelo procedimento na fila da Região Leste da Secretaria de Saúde (SES-DF). O mutirão, realizado nos dias 22, 23 e 24 de novembro, só foi possível com a parceria entre a secretaria e o Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), que reuniu uma equipe com cerca de 20 profissionais no Hospital da Região Leste (HRL).

A iniciativa faz parte do projeto piloto para a implantação de uma linha de cuidado em saúde do homem. A proposta está sendo desenvolvida com equipes de Saúde da Família no atendimento a pacientes que vivem na zona rural da Região Leste, que abrange Paranoá, São Sebastião e Itapoã. O foco principal do projeto são as doenças prostáticas, mas também estão sendo identificadas outras necessidades de quem vive na região.

“Como estamos apoiando toda a saúde do homem da região, um dos aspectos muito importantes é a paternidade consciente. Identificamos essa demanda da vasectomia e esse mutirão está ajudando muitas famílias”, explica o diretor do HRL, Leonardo Ramos. Este é o segundo mutirão de vasectomia realizado pelo projeto. No primeiro, em setembro, foram feitas 45 cirurgias no HUB. Em janeiro, deve ser preparada uma nova ação.

A vasectomia é uma cirurgia simples, realizada com anestesia local e que dura, em média, 30 minutos. Logo após a cirurgia, o paciente recebe todas as informações para o cuidado nos dias seguintes, agenda um retorno e é liberado. “É mais fácil para o homem fazer a cirurgia, o repouso é mais simples. Eu e minha esposa temos duas filhas e decidimos juntos pela vasectomia”, conta o diarista Romário França, beneficiado pelo mutirão.

O técnico em informática Márcio Muniz também tem dois filhos e decidiu pela vasectomia para priorizar a saúde da mulher. “Minha esposa tem um problema de saúde e toma muitos medicamentos. Agora, vai poder cortar um. Foi uma decisão pensando em toda família”, afirma Márcio.

Entenda a linha de cuidado
Além do HUB e da SES-DF, o projeto da linha de cuidado conta com a parceria do Ministério da Saúde, da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e da Universidade de Brasília (UnB). O tema está em discussão desde a assinatura de um novo contrato entre o HUB e a SES-DF, em janeiro. “Como todo o projeto está sendo desenvolvido em parceria, ações como o mutirão contribuem para a integração dos hospitais e das equipes”, garante o urologista e chefe da Unidade de Transplante do HUB, Rômulo Maroccolo.

Foram selecionadas cinco equipes de Saúde da Família da região para atuar no projeto. Elas são compostas por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e agentes comunitários de saúde. Algumas também contam com dentistas e técnicos em odontologia. O modelo, que está sendo construído coletivamente, definirá o itinerário de atendimento do paciente, desde a assistência preventiva até a hospitalar.

“Para a população da área rural é muito bom porque estamos levando resolutividade. Eles estão se sentindo mais acolhidos, se preocupando mais com a saúde e procurando os serviços de saúde”, afirma a gerente de Serviço de Atenção Primária, responsável pelas equipes que atuam no projeto, Jaqueline Pereira.

Assessoria de Comunicação do HUB