Notícias Notícias

Voltar

HUB participa de pesquisa com plasma de pacientes curados

Covid-19

HUB participa de pesquisa com plasma de pacientes curados

Pessoas que já tiveram a doença podem se candidatar para doação e contribuir com os estudos

Uma pesquisa que pode ajudar no tratamento e na cura de pacientes com coronavírus e garantir a produção de anticorpos contra a doença, o que possibilitaria a criação de um novo medicamento. Essa é a expectativa de pesquisadores e profissionais que trabalham nos estudos com plasma sanguíneo de pacientes curados de Covid-19. A pesquisa está sendo conduzida pela Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), Fundação Hemocentro e Secretaria de Saúde (SES-DF).

Os pesquisadores pretendem mostrar que a transfusão do plasma, que é a parte líquida do sangue, de um paciente curado para outro que está internado em estado moderado pode contribuir na recuperação do paciente. Pesquisas semelhantes também estão sendo feitas em outros locais do país e do mundo. “Estamos tendo a oportunidade de formar pesquisadores em uma metodologia de ponta e contribuir para a saúde da população”, explica a gerente de Ensino e Pesquisa do HUB, Dayde Mendonça. 

No Distrito Federal, a primeira transfusão deve ocorrer nos próximos dias. “O nosso objetivo é testar a eficácia da pesquisa, que pode ajudar o paciente a não evoluir para uma forma grave da doença e contribuir também com o sistema de saúde”, afirma o coordenador da pesquisa e professor da Faculdade de Medicina da UnB, André Nicola.

Também está sendo testado o uso do sangue de pacientes curados para a produção de anticorpos contra a doença em laboratório, que são chamados monoclonais. O objetivo é usar esses anticorpos para a produção de um novo medicamento que poderá ser usado no tratamento da Covid-19.

Como doar
Se você já teve diagnóstico positivo de coronavírus e deseja doar plasma para a pesquisa, é só entrar no site do Hemocentro e preencher um formulário. Se estiver dentro dos critérios para doação, a equipe entrará em contato para marcar uma entrevista e a coleta de amostra do sangue para análise, fase que é realizada no HUB. A amostra será avaliada pelo Hemocentro e pela UnB e o voluntário será novamente procurado se estiver apto para doação. Mesmo se a doação não for possível, o sangue será usado para testes de produção de anticorpos.

A enfermeira da Agência Transfusional do HUB Ana Catarina Vasconcelos está atuando na pesquisa e diz que se emociona com a solidariedade de quem participa das entrevistas. “Vejo pessoas que passaram pela doença e agora querem ajudar, contribuir para que outras não passem pela mesma coisa”, conta Ana Catarina. 

A coleta do plasma é simples e rápida. O processo e critérios exigidos são semelhantes ao procedimento para doação de sangue, mas o voluntário também deve atender às seguintes condições: ter entre 18 e 60 anos; pesar no mínimo 60 kg; se mulher, não ter histórico de gestações; ter diagnóstico confirmado de Covid-19 e estar sem sintomas há pelo menos 15 dias; e não ter tido manifestações graves da doença, como choque séptico e parada cardíaca.

Assessoria de Comunicação do HUB