Notícias Notícias

Voltar

"Campanha foi aprendizado imenso" afirma superintendente

gestão

"Campanha foi aprendizado imenso" afirma superintendente

Revisão de organograma, conclusão de obras e saúde do trabalhador do hospital são algumas das prioridades

VITÓRIA (ES) - A pediatra e professora universitária Rita Elizabeth Checon de Freitas Silva frequenta o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam-Ufes) desde 1979, quando ainda era chamado de Hospital das Clínicas. Foi neste prédio que a atual superintendente da instituição fez a maior parte da carreira profissional e acadêmica. Graduou-se em Medicina em 1984 e passou duas temporadas no Rio de Janeiro: uma para a residência médica em Pediatria e outra para o doutorado em Saúde Pública. Atua na área de gestão desde 2010, quando ocupou a chefia da então Divisão de Pediatria do Hucam.

No principal cargo de gestão do Hucam desde 17 de dezembro, depois de votação da comunidade hospitalar, Rita dá sua primeira entrevista e descreve expectativas, prioridades e características que deseja para sua gestão. Confira a seguir:

 

Hucam-Ufes - Depois de uma campanha que, de forma inesperada, foi suspensa por quase um ano, conte sobre sua expectativa para o cargo. [ Em 2017, durante a campanha para a Superintendência, uma decisão da Justiça Federal em favor da candidatura do professor Aloísio Falqueto fez a universidade suspender o processo eleitoral até o ano seguinte. Na reta final, um novo impedimento da candidatura de Falqueto fez Rita ser o único nome na cédula].

O processo eleitoral parou em setembro de 2017 e foi retomado em agosto de 2018, um intervalo que gerou ansiedade natural em todo o hospital e, lógico, em mim também. O final de 2018 foi um momento de muita turbulência, de retormar uma campanha que não foi fácil. Mas o envolvimento de todas as equipes me deixou muito feliz. Minha expectativa é muito boa, por causa do apoio que recebi e estou recebendo. A campanha foi um aprendizado imenso. Consegui visitar praticamente todo o hospital, conversei com muitas equipes. Tive condição de fazer uma escuta dessa comunidade e aprendi muito. Estou há três décadas no Hucam, mas o aprendizado que tive na campanha foi incomparável.

A equipe que tenho, com bons gerentes, me faz também ter uma expectativa boa, me dá tranquilidade. As pessoas que estão nos cargos fazem uma transição tranquila. [Ainda em fase de transição para a titularidade nos cargos, os professores Valéria Valim e José Geraldo Mill foram os escolhidos para os cargos de gerente de Atenção à Saúde e de Ensino e Pesquisa, respectivamente. Maroun Simão Padilha é o gerente Administrativo].

 

Quais são as prioridades deste início de gestão?

A campanha me fez observar que temos várias frentes de trabalho a enfrentar em um hospital complexo como o Hucam. O hospital já está em um patamar de melhoria que nos coloca no momento de aperfeiçoar. A partir de uma situação de recuperação, que ocorreu nos últimos cinco anos, agora temos que pensar na qualificação, o que é um desafio grande. Precisamos de um diagnóstico situacional das três gerências. O que sabemos de imediato é que precisamos fazer uma revisão do organograma da instituição.

A discussão sobre melhorias na saúde do trabalhador e na gestão de pessoas é outro ponto importante. O Núcleo de Atenção à Saúde do Trabalhador do Hucam (Nasth) vai se transformar em uma unidade. Precisamos rever questões da área de Ensino e Pesquisa no hospital, para que se use projetos de pesquisa para trazer mais recursos para o Hucam e viabilizar mais pesquisas na instituição.

E, claro, tem sempre a parte de obras. Concluir aquelas que estão em andamento, que já estão empenhadas, como a do novo Complexo Ambulatorial.

 

Quais as características que quer imprimir em sua gestão?

Classifico como importante a organização do trabalho. Que se tenha método, que se possa trabalhar de forma participativa e colegiada. Foi assim na Pediatria ao longo dos anos. Acho que temos que ouvir as pessoas, e ter decisões tomadas em conjunto. Lógico que, às vezes, o superintendente tem que trazer as decisões para si e não vou fugir disso, mas acho a gestão participativa importante. Além disso, prezo pelas decisões tomadas de forma responsável e ética. No setor público, é fundamental que esses valores sejam colocados acima de tudo.

Quero também que as pessoas percebam que há um canal em que se possa conversar com o superintendente. Criar uma forma de comunicação mais ampla. Somos uma família, acho que passo mais tempo aqui do que na minha casa.

 

O que lhe motiva?

Tenho felicidade em estar aqui, gosto muito desse trabalho e sei da minha importância. Se a gente não se sentir útil, ficamos infelizes. Sempre gostei de trabalhar com Assistência e Ensino aqui no Hucam. E depois de assumir cargo de gestão, são oito anos na pediatria, também me senti importante. Venho para cá feliz, porque é um trabalho que impacta na sociedade. Sinto-me em casa aqui, venho para um lugar que me é familiar. Estou aqui desde 79.

 

Qual mensagem que daria para quem busca o Hucam para tratamento?

Fazemos aqui um bom trabalho e gostaríamos que essas pessoas se sentissem bem, que seus problemas sejam resolvidos. Podem esperar da gente o melhor. Estamos nos organizando para oferecer a melhor assistência. Que as pessoas que buscam o Hucam num momento de fragilidade se sintam satisfeitas. Nosso trabalho é feito em torno disso. De antemão, quero agradecer aos usuários pelos nossos altos índices de satisfação medidos pela Ouvidoria.

 

Leia também "'Hoje, as pessoas entendem o nosso propósito', destaca antecessor"

Imagens: