Notícias Notícias

Voltar

Plano Diretor Estratégico entra em fase decisiva

Planejamento

Plano Diretor Estratégico entra em fase decisiva

O hospital quer atacar sete grandes problemas desde já, até 2023; conheça os objetivos da instituição

VITÓRIA (ES) - O Plano Diretor Estratégico (PDE) do Hucam-Ufes para os anos de 2020 a 2023 entrou na sua fase decisiva.  Foram definidos os sete principais problemas da instituição (macroproblemas) a serem atacados nesses quatro anos e, mais que isso, a causa primordial de cada um (causa-raiz) e o que será a sua solução de maior impacto (solução de alto nível). Agora, vem pela frente a tarefa de estabalecer metas, indicadores e projetos para o documento final.

A definição dos ‘macroproblemas’

No último dia 14, um grupo de representantes de gestores, colaboradores, discentes e professores que atuam no hospital se juntaram a integrantes da gestão do Centro de Ciências da Saúde, da Administração Central da Ufes e da Secretaria Estadual de Saúde para dois dias de uma jornada de 13 horas de trabalho.

A abertura teve a presença do reitor da Ufes, professor Paulo Vargas, o vice-reitor, Rony Pignaton, a diretora do Centro de Ciências da Saúde da universidade, Gláucia Abreu, e a superintendente do Hucam, professora Rita Checon. Logo em seguida, divididos em grupos, o time de representantes participou de uma dinâmica, com metodologia mediada pela Unidade de Planejamento do hospital, em que foram definidos primeiramente o ‘macroproblema’ para cada um dos sete pilares temáticos: Ensino, Pesquisa, Assistência, Sustentabilidade, Governança, Processos e Tecnologia e Pessoas. Vamos a eles:

 

ENSINO

PESQUISA

ASSISTÊNCIA

SUSTENTABILIDADE 

GOVERNANÇA

PROCESSOS E TECNOLOGIA

PESSOAS

Dificuldade de conciliação entre as necessidades do ensino, dimensionamento do Hucam e organização das redes de atenção à saúde

Baixa produção em pesquisa

Inadequação na qualidade da assistência

Desconhecimento do custo institucional

Ausência de gestão de risco e controle interno

Fragilidade na gestão de processos e tecnologia da informação

Elevado absenteísmo

 

Em seguida, sempre com debates cheios de apartes e considerações, os macroproblemas ganharam o que foi definido como a ‘causa raiz’ de cada um. E a partir de então, foram traçados os títulos das ‘soluções de alto nível’. Fique por dentro:

 

 

ENSINO

PESQUISA

ASSISTÊNCIA

SUSTENTABILIDADE

CAUSA-RAIZ

Dimensionamento insuficiente do Hucam para todos os campos de prática do Ensino e todas as demandas da Rede 

Ausência de política institucional e insuficiência de estrutura para Pesquisa

Falta de política institucional implementada para gestão da qualidade

Falta de informações integradas para gestão de custos

SOLUÇÃO DE ALTO NÍVEL

Reestruturação dos campos de prática e revisão da contratualização de acordo com o dimensionamento do hospital

Definição de política institucional de incentivo à Pesquisa e estruturação de um Centro de Pesquisa Clínica

Criação da Política Institucional de Gestão da Qualidade com base no programa ‘Selo Ebserh de Qualidade’

Implantação de um sistema integrado para gestão de custos

 

 

 

GOVERNANÇA

PROCESSOS E TECNOLOGIA

PESSOAS

CAUSA-RAIZ

Baixa maturidade institucional e dos gestores do Hucam em relação ao tema

Falta de padronização de método e de gestão de processos e soluções em TIC

Ausência de modelo de gestão de pessoas institucionalizado no Hucam

SOLUÇÃO DE ALTO NÍVEL

Criação da Política de Gestão de Riscos e Controles Internos do Hucam

Implantação da gestão de processos e de governança em TIC

Implantação de um modelo de gestão de pessoas

 

O reitor da Ufes destacou na abertura do evento a importância do PDE do Hucam como ferramenta de mobilização:

“Entendo que o PDE é um instrumento capaz de mobilizar e de motivar os profissionais do hospital, buscando agregar os anseios da comunidade aos seus projetos, identificando dificuldades e potencialidades. O plano nos possibilita registrar diferentes diagnósticos sobre a realidade, bem como aponta as adversidades e os avanços, de modo que possamos definir estratégias para o futuro”.

A superintendente do Hucam fez um resumo das tendências apontadas pela fase de análise situacional do PDE 2020-2023:

"Foi uma sequência de debates muito rica, com todos os participantes interessados em projetar o melhor para o Hucam. Ao final, foi possível perceber como que nosso futuro até 2023 estará ancorado, em boa parte, na elaboração de políticas e modelos de governança que melhorem nossos processos de trabalho. Os desafios são enormes, mas realistas. Ditamos nesta fase do PDE aquilo que está em nossa alçada como instituição'

O que vem pela frente

Terminada esta análise situacional, parte-se agora para a fase que envolve a contrução do ‘Painel de Contribuições’.  É a segunda das quatro fases que farão com que o Planejamento Estratégico da Rede Ebserh se desdobre para a rede de hospitais universitários federais, da qual faz parte o Hucam.

O Painel de Contribuições é dividido em três etapas: Definição dos indicadores locais, o que envolve a mensuração das metas projetadas; Definição dos projetos locais, o que viabilizará o alcance das metas anuais; e a última etapa que, envolve a publicação propriamente dita do Plano Diretor Estratégico, montado com o que for validado do painel, além das demais seções do documento final.

Leia mais: 

Conheça a Missão, os Valores e a Visão do Hucam 

Grupo de Trabalho retoma desenvolvimento do PDE

Hucam terá novo Plano Diretor Estratégico (20/03/20)

Página do PDE do Hucam

Sobre a Esberh

 

O Hucam-Ufes faz parte da Rede Ebserh desde 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas.

Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede de Hospitais Universitários Federais atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Imagens: