Notícias Notícias

Voltar

Projeto com apoio do HULW assiste pacientes com queixas de zumbido

NA UFPB

Projeto com apoio do HULW assiste pacientes com queixas de zumbido

Ação é desenvolvida em parceria com os setores de Otorrinolaringologia, Neurologia e Acupuntura

Caracterizado pela presença de um ou mais sons nas orelhas ou na cabeça em ausência de estímulo sonoro externo correspondente, o zumbido é  considerado o terceiro pior sintoma para o ser humano, sendo superado apenas pelas dores e tonturas intensas e intratáveis. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 250 milhões de pessoas do planeta padecem com esse problema. No Brasil, já são 28 milhões de pessoas que padecem com os zumbidos.

Por causa da sua multicasualidade, profissionais das diversas áreas de saúde estão cada vez mais interessados na busca de uma avaliação precisa do paciente, além de alternativas terapêuticas eficientes e definitivas. É o que acontece na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Atualmente, o Departamento de Fonoaudiologia, em parceria com os Programas de Pós-Graduação em Fonoaudiologia (PPGFon) e de Neurociência e Comportamento (PPGNeC), desenvolve o projeto “Avaliação Transdisciplinar de Pacientes com Queixas de Zumbidos”. Desde a sua criação, em novembro de 2014 e até agora, foram atendidos 340 pacientes, mas existe uma lista com mais de 50 pacientes com zumbidos.

O trabalho também mantém parcerias com os setores de Otorrinolaringologia, Neurologia e Acupuntura do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), que é vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), e com duas empresas privadas de aparelhos auditivos Menthel e Audibel. Além disso, tem parceria com outras extensões: Serviço de Controle da Dor Orofacial – Ano XIV; Equipe Literacia de Inovação Tecnológica em Saúde – ELITS.

Vinculado também ao Programa de Bolsa de Extensão (Probex) da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PRAC), o projeto objetiva atender pacientes com queixa de zumbido, realizar avaliações, encaminhamentos e oferecer opções de tratamento. A Coordenadora do Projeto, professora-doutora Marine Raquel Diniz da Rosa, explica que o problema é tratável, mas por ser um sintoma de múltiplas causas, é preciso identificar a causa para o tratamento. Ela disse que ainda não existe um padrão de tratamento para o sintoma, pois cada paciente é um caso diferente.

“Nós já recebemos paciente com remissão total do zumbido e outros casos de diminuição da percepção do sintoma também. Tudo depende da causa, fator desencadeante e mantenedor do sintoma. O importante é investigá-lo”, completou.

Equipe transdisciplinar - Atualmente a equipe do projeto “Avaliação Transdisciplinar de Pacientes com Queixas de Zumbido” é formada por 2 professoras fonoaudiólogas; 2 técnicas fonoaudiólogas; 5 estudantes do Curso de Fonoaudiologia, sendo 2 bolsistas e 3 voluntários; 3 estudantes de iniciação científica, sendo 2 bolsitas e 1 voluntário; 7 alunos de pós-graduação em Fonoaudiologia e do programa de pós-graduação em Neurociências e Comportamento, sendo 05 fonoaudiólogas e duas médicas (neurologista e acupunturista); 7 profissionais voluntários das áreas de otorrinolaringologia, nutrição, odontologia, psicologia e fisioterapia.

 

Com informações da Agência de Notícias da UFPB