Notícias Notícias

Voltar

Cartilha sobre Hemovigilância é lançada durante Curso de Excelência no HULW

TRANSFUSÃO

Cartilha sobre Hemovigilância é lançada durante Curso de Excelência no HULW

Material pretende auxiliar profissionais na vigilância do processo transfusional

Em atenção ao Dia Mundial de Segurança do Paciente, foi lançada nesta terça-feira, dia 17, a cartilha de “Hemovigilância no ato transfusional”. O material foi apresentado durante o I Curso de Excelência em Hemotransfusão e Hemovigilância, que acontece no auditório do Hospital Universitário Lauro Wanderley, vinculado à Universidade Federal da Paraíba e à Rede Ebserh.

O evento encerra nesta quarta-feira, 18, e é uma iniciativa da coordenação do Projeto de Extensão em Hemovigilância, do Departamento de Ciências Farmacêuticas do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal da Paraíba e conta com a parceria da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) e da Agência Transfusional do HULW.

“Ontem, para comemorar o dia mundial da segurança do paciente, lançamos a cartilha para auxiliar os profissionais na vigilância em todo o processo transfusional, garantindo assim uma maior segurança ao paciente transfusionado”, reforçou a professora do Departamento de Ciências Farmacêuticas da UFPB e coordenadora do projeto de extensão vinculado ao PROBEX/CCS, Daniele Idalino Janebro. O material foi elaborado pela estudante do curso de Farmácia da UFPB Jéssica Laiana Melo Araújo, que integra o Projeto de Extensão em Hemovigilância.

Segundo a docente, o objetivo do curso sobre hemotransfusão é sensibilizar e capacitar os profissionais com relação à hemovigilância e hemotransfusão, visto que muitos deles veem como tarefas exclusivas da agência transfusional, quando, na verdade, a hemovigilância deve ser constante e feita por todos.

“A ideia é alcançar todos os profissionais que tenham algum contato com o cuidado do paciente e com o processo hemotransfusional, quais sejam técnicos de enfermagem, técnicos de laboratório, profissionais da Agência Transfusional, enfermeiros, médicos, residentes, farmacêuticos, farmacêuticos clínicos e biomédicos”, enumera.

Durante a capacitação, estão sendo debatidos assuntos como legislações vigentes, arsenal hemoterapêutico utilizado no hospital, processos pré e pós transfusão, hemocomponentes e suas principais indicações. “A intenção é aumentar o conhecimento sobre esses pontos, além de orientar sobre a diminuição do desperdício, indicar o melhor uso dos hemocomponentes e dar diretrizes sobre como reduzir os riscos para o paciente”, disse a professora.

Além de Daniele Idalino, que vai falar sobre “Detecção de reações transfusionais e segurança transfusional”, o curso conta com três palestrantes, dentre as quais estão Germana Arruda, que abordará a “Legislação vigente em hemoterapia e arsenal hemoterápico”; Nathalia Saraiva, que tratará dos “Procedimentos peritransfusionais e postransfusionais”; e Tays Gonçalves que vai explicar sobre o “Uso racional dos hemocomponentes”.

Na programação para esta quarta-feira, a abertura vai contar com a apresentação artística do Coral Universitário Gazzi de Sá, da Universidade Federal da Paraíba. “Quem não pode participar do curso na terça, terá mais uma oportunidade hoje, pois daremos continuidade ao ciclo de palestras sobre transfusão sanguínea”, destacou Daniele.

A pouca ênfase na abordagem da hemoterapia e na hemovigilância durante os cursos de graduação de medicina e enfermagem foi um dos motivos que levaram à realização do curso. “Diante dessa necessidade, o Projeto de Hemovigilância da UFPB juntamente com a GEP sentiu a necessidade de promover a capacitação, uma das mais pedidas no ano passado”, destacou a professora Daniele.

De acordo com Germana Arruda, farmacêutica responsável pelo processo hemoterápico do HULW e membro do Núcleo de Segurança do Paciente do hospital, um dos frutos do projeto de extensão foi a implantação das placas identificadoras para pacientes recém transfundidos, técnica utilizada desde o início de 2019 pela Agência Transfusional.  “A iniciativa pactuada com a professora Daniele e as suas alunas do curso de Farmácia é considerada de grande importância para segurança transfusional, minimiza subnotificação dos eventos adversos e contribui para o processo de melhoria da qualidade dos procedimentos hemoterápicos executados na unidade. Trata-se de uma estratégia de reforço à hemovigilância do HULW”, enfatizou.

Sobre a Ebserh

O Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB) integra a Rede Ebserh desde dezembro de 2013. Estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais.

 

Jacqueline Santos - Jornalista - HULW-UFPB/Ebserh