Central de teleatendimento - Perguntas e Respostas Central de teleatendimento - Perguntas e Respostas

Perguntas & Respostas – CENTRAL DE TELEATENDIMENTO do HULW

 

1. O que é a Central de Teleatendimento do HULW?

Uma central telefônica com quatro linhas criadas para que o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) possa realizar assistência remota aos pacientes da instituição.

 

2. Qual o objetivo?

Viabilizar o atendimento a distância para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que já estão em tratamento no HULW. Devido à pandemia de covid-19, as consultas ambulatoriais estão suspensas desde março, e essa medida objetiva dar continuidade ao acompanhamento dos pacientes da unidade de saúde, a exemplo daqueles com enfermidades crônicas, como diabetes, cardiopatias e doenças reumatológicas.    

 

3. Todo mundo pode participar?

NÃO. Serão atendidos apenas pacientes que já recebem atendimento no HULW. O novo serviço é exclusivo para quem é acompanhado por profissionais do Hospital Universitário.

 

4. Tenho uma primeira consulta marcada para o ambulatório do HULW. Pode ser feita pelo teleatendimento?

NÃO. O serviço de assistência remota é exclusivo para pacientes que já são atendidos pelo Hospital Universitário, ou seja, não serão aceitos pacientes novos.

 

5. Quais as especialidades envolvidas?

Cardiologia, Dermatologia, Endocrinologia, Geriatria, Hematologia, Nefrologia, Neurologia, Oncologia, Pediatria, Pneumologia, Psiquiatria e Reumatologia.

 

6. Quais os telefones disponíveis para atendimento?

TELEFONE

ESPECIALIDADES

3206-0691

Reumatologia/Dermatologia/Nefrologia

3206-0692

Hematologia/Oncologia/Endocrinologia

3206-0693

Cardiologia/Pneumologia/Pediatria

3206-0694

Neurologia/Geriatria/Psiquiatria

 

7. Que ferramenta será usada para o atendimento a distância?

Os atendimentos ocorrerão por meio de ligação do aplicativo de mensagens WhatsApp ou da plataforma Teams, da Microsoft.

 

8.  Todos os pacientes em acompanhamento serão atendidos ou haverá alguma triagem?

O objetivo é atender todos os pacientes, mas será feita uma triagem antes da teleorientação ou teleatendimento, para saber se o usuário do HULW está apto.

 

9. O que acontece quando o usuário liga para a Central?

Quando o usuário liga para um dos números fornecidos pelo HULW, é aplicado um questionário e definido se o paciente está apto para o atendimento. Em seguida, ocorre a coleta de dados para agendamento. Depois, é indagado se ele tem acesso à internet e a e-mail. Caso contrário, o atendimento ocorre por meio do WhatsApp. Quando o paciente passa pela triagem, é agendada uma data na grade de cada profissional que está fazendo o telatendimento, conforme o dia que ele costuma atender no ambulatório do HULW.

 

10. Não tenho acesso a e-mail e a internet. Como serei atendido?

Por meio de uma ligação com o aplicativo de mensagens WhatsApp.

 

11. Como o usuário será informado sobre o atendimento?

Previamente, os usuários serão comunicados sobre data e horário do atendimento por meio de ligação telefônica.

 

12. Os outros projetos de atendimento a distância continuam?

NÃO. A partir da criação da Central de Teleatendimento, outros serviços remotos voltados aos usuários de algumas especialidades do HULW e que funcionavam por meio de redes sociais digitais ou aplicativos (Instagram, Facebook e WhatsApp) foram interrompidos. Este é o programa oficial do Hospital Universitário. A interrupção desses outros projetos é necessária para que a população não se confunda.

 

13. A telemedicina é regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina?

Sim. No caso específico da prática da telemedicina durante a pandemia de covid-19, o Conselho Federal de Medicina regulamentou três tipos de atividades:

Teleorientação – para que profissionais da medicina realizem a distância a orientação e o encaminhamento de pacientes em isolamento;

Telemonitoramento – ato realizado sob orientação e supervisão médica para monitoramento ou vigilância a distância de parâmetros de saúde e/ou doença;

Teleinterconsulta – exclusivamente para troca de informações e opiniões entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico.