Notícias Notícias

Voltar

Huol e Mejc acumulam ações no enfrentamento à Covid-19

6 MESES DE PANDEMIA

Huol e Mejc acumulam ações no enfrentamento à Covid-19

Hospitais Universitários da rede Ebserh atuam em várias frentes

Embora não sejam referência em infectologia, o Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol) a Maternidade Escola Januário Cicco (Mejc), ambos vinculados à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e à Rede Ebserh, não se privaram de somar forças ao enfrentamento da maior crise sanitária mundial da nossa época, acumulando práticas no enfrentamento à Covid-19.


Expoente no atendimento de gestação de alto risco e recém-nascidos prematuros, a Mejc precocemente passou a adotar medidas para proteção de pacientes, familiares, acompanhantes, profissionais de saúde e sociedade em geral. Dentre as estratégias adotadas, firmou parceria com o Sistema Fecomércio-RN, que disponibilizou a estrutura móvel Sesc Saúde da Mulher para permitir suporte na triagem dos atendimentos de urgência. Uma forma de proteger e otimizar os procedimentos de averiguação do estado clínico das pacientes, com olhar minucioso para possíveis sintomas da Covid-19.


Diante das especificidades que possuí, a Mejc pactuou com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) o compromisso de desafogar outras maternidades, para que as mesmas pudessem concentrar energias no recebimento exclusivo de gestantes com sintomas e/ou confirmação da Covid-19, sendo assim uma unidade de retaguarda para as maternidades potiguares, tal qual o Huol para os hospitais de campanha.


“Uma medida protetiva para que os atendimentos as diversas patologias pudessem continuar e as demais unidades de saúde se organizassem para receber pacientes da Covid-19”, explica a gerente de atenção à saúde da Mejc, Maria da Guia de Medeiros Garcia.


Desde o engajamento na pandemia, a Mejc ampliou atendimentos em mais de 30%, realizando média de 12,3 procedimentos diários. Após a pactuação, já ocorreram 814 internações e 517 partos.


No co-irmão com perfil geral, o Huol reformou dois andares inteiros para receber pacientes do Hospital Giselda Trigueiro e auxiliar a unidade de referência em infectologia do Estado e os hospitais de campanha a estarem dedicados especificamente ao enfrentamento da Covid-19.


Entre as melhorias de benefício direto aos pacientes houve transformação de enfermarias em leitos críticos, instalação de equipamentos de climatização e exaustão de ar nas enfermarias e banheiros, além da instalação de sistema de monitorização em tempo real. O sistema de exaustão, aliás, é inédito em hospitais do Rio Grande do Norte, sejam públicos ou privados, e também único entre os afiliados da Rede Ebserh.


Com recursos do MEC, a UFRN realizou mais de 10 mil testes para Covid-19, incluindo a testagem dos profissionais de saúde que atuam nos Hospitais Universitários Ebserh.


Os laboratórios de pesquisa do Huol também se mobilizaram diante da pandemia, capitaneando estudos desde a utilização do plasma sanguíneo como alternativa de tratamento, até os efeitos pós-Covid no organismo dos pacientes recuperados.


A proatividade na instituição envolveu os insumos e equipamentos: o serviço de hotelaria do Huol confeccionou 26.750 máscaras para uso das suas equipes de saúde, todas em não tecido trilaminado SMS, com aval do setor de Gestão da Qualidade e Vigilância em Saúde, justamente por atender aos requisitos mínimos estabelecidos pela Anvisa. A infraestutura construiu seu próprio equipamento de desinfecção com luz ultravioleta, reduzindo o tempo de espera para desinfecção dos elevadores de 40 para 6 minutos, tempo de exposição do ambiente à luz ultravioleta que gera até 95% de inativação dos agentes infecciosos, de acordo com validação feita através da análise de crescimento bacteriológico realizada pelo Laboratório de Análises Clínicas (LAC) do Huol.

 


O Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS) desenvolveu o sistema Regula RN, a central de Regulação de leitos utilizada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) que rendeu ao Rio Grande do Norte projeção nacional em transparência e organização logística na gestão da crise da Covid-19. Além disso, o time de especialistas do Huol e da Mejc estiveram constantemente na imprensa transmitindo informações em saúde para a população potiguar.


O domínio do problema se deu pois mais de 2.000 profissionais foram treinados nas duas instituições, através de cursos sobre o Manejo Clínico de Pacientes com Covid-19, Higienização das Mãos e Uso de Equipamentos de Proteção Individual. Foram capacitados 660 profissionais de enfermagem no Huol e 466 na Mejc, médicos foram respectivamente 195 e 135; equipes multiprofissionais, entre psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos somaram 131 e 37 em cada uma das instituições, além dos residentes e outros profissionais contemplados com as ações de educação.

 

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais, impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

 

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas por atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, por apoiar a formação de novos profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a sua natureza educacional, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.