Notícias Notícias

Voltar

Projeto do Huol viabiliza que hospital no interior do RN ofereça o Teste do Coraçãozinho

SAÚDE PÚBLICA

Projeto do Huol viabiliza que hospital no interior do RN ofereça o Teste do Coraçãozinho

Hospital Regional de Currais Novos iniciou novo serviço na última sexta-feira

Na última sexta-feira 17, o Hospital Regional Mariano Coelho, localizado em Currais Novos, segundo maior município da região Seridó do Rio Grande do Norte, passou a realizar o teste do coraçãozinho. Para ofertar o serviço, profissionais da unidade foram capacitados pelo projeto do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) que promove a interiorização da triagem cardíaca nos recém-nascidos.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a cada ano, aproximadamente 29 mil crianças nascem com cardiopatias no Brasil, anomalias anatômicas no coração que produzem diversas insuficiências e consequências graves para os neonatos.

O projeto Teste do Coraçãozinho, coordenado pela cardiopediatra Gisele Leite, visa expandir a maneira mais eficiente de diagnóstico das cardiopatias congênitas, capacitando profissionais da rede pública e privada no procedimento indolor de medição da quantidade de oxigênio no sangue.

De acordo com a coordenadora da ação, “ainda no final do mês de janeiro, a cidade de Mossoró receberá os multiplicadores do projeto, levando a capacitação ao segundo município potiguar mais populoso”, informou Gisele Leite.

 

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais, impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas por atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, por apoiar a formação de novos profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a sua natureza educacional, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Imagens: