Notícias Notícias

Voltar

Jogo desenvolvido no HUSM foi premiado no III Encontro Regional da Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente

Educação corporativa

Jogo desenvolvido no HUSM foi premiado no III Encontro Regional da Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente

A equipe do Núcleo de Educação Permanente em Saúde (NEPS), juntamente com as profissionais enfermeiras do Serviço de Hemoterapia do Hospital Universitário de Santa Maria, foi a ganhadora do prêmio principal do III Encontro Regional da Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente/ Núcleo Santa Maria, realizado dia 5 de setembro, na Universidade Franciscana.
Foram 34 trabalhos de hospitais de Santa Maria e região. O jogo de tabuleiro Utilização de Tecnologia Educacional para Segurança do Paciente no Ato Transfusional, que nasceu da necessidade de oferecer uma capacitação criativa para os funcionários da área da saúde do hospital, foi o trabalho vencedor.
- Está cada vez mais difícil tirar os profissionais dos setores para participarem de capacitações, palestras, devido a quantidade de demandas que a equipe assistencial tem para atender. Resolvemos buscar um método diferente para fugir do convencional e criamos o jogo – explica Cláudia Lavich, responsável pelo NEPS.
A ideia nasceu durante um evento realizado pela USP, em novembro do ano passado. Hoje em dia, os jogos não são mais vistos apenas como entretenimento. Ao contrário, eles têm sido empregados como ferramenta de trabalho. E são considerados um forte aliado para incorporação de novas práticas, para construção de rotinas, além da fixação de conceitos e protocolos corporativos.
- Fomos provocadas a repensar as práticas. E hoje conseguimos aprender brincando – afirma Cláudia.
O jogo de trilha consiste em tabuleiro em lona (mesmo material usado nos banners, resistente e de fácil higienização), três pinos coloridos (pode ser jogado por até três equipes de forma simultânea), um dado e cartas. O profissional joga o dado, o número que cair corresponde ao número de casas que o jogador pode avançar. Na casa que ele parar, terá uma pergunta referente ao ato transfusional ou uma simulação de procedimento relacionado ao uso de hemocomponentes ou ainda uma prenda para estimular a interação social e o trabalho em equipe. O manual contém as regras do jogo e as respostas comentadas das perguntas.
O jogo aborda desde conceitos, cuidados na instalação, manutenção e finalização da bolsa do paciente. O material trabalha toda parte teórica, das reações adversas que podem ocorrer no paciente, até as compatibilidades sanguíneas.
Toda contextualização teórica para criação do jogo foi feita pelas enfermeiras do Serviço de Hemoterapia do HUSM.
- Nós tínhamos a necessidade, tanto interna quanto da Vigilância Sanitária, de capacitar os profissionais. Tínhamos palestras semestrais e o pessoal não conseguia participar. Então partimos para uma capacitação EAD, que segue na rede. Mas ainda precisávamos aumentar a adesão dos funcionários. Aí surgiu a ideia. O jogo é uma forma de capacitar, educar de uma maneira lúdica, extrovertida –  afirma Christiani Andrea Marquesini Rambo, enfermeira do Serviço de Hemoterapia do HUSM.
O material foi para validação junto ao Núcleo de Educação Permanente em Enfermagem (NEPE), que jogou e fez algumas sugestões.
- Adaptamos e levamos para um piloto com a equipe da hemato-onco. Esse jogo já está nos setores – recorda Cláudia.
Agora, no início de outubro, as equipes têm que apresentar as listas de presença. Cada pessoa que joga, assim como o instrutor, tem que assinar a lista. Depois que todos os setores entregarem suas presenças, o NEPS vai encaminhar, por e-mail, uma avaliação de aprendizagem referente ao jogo. Essa avaliação será online. Quem atingir a média, recebe o certificado.
- O jogo está sendo muito bem aceito. Esse é o primeiro jogo educacional do HUSM. Para nós ele é inovador, porque é uma forma diferente de capacitar. É claro que é uma ferramenta que vem sendo muito utilizada na academia. Mas em hospital público, aqui na região sul, como estratégia de capacitação, não vimos muita coisa – revela Cláudia.
Outras iniciativas
O NEPS já está com outro jogo em construção, junto com a equipe do controle de infecção do hospital. Esse – no modelo da batalha naval – é voltado para as IRAS - Infecções relacionadas à Assistência em Saúde. O jogo já passou por validação do NEPE e também das chefias e referências de enfermagem dos setores. Agora vai para um projeto piloto, em forma de oficinas, que será organizado pelo NEPS e Setor de Controle de Infecção Hospitalar para ser aplicado em novembro. 
Na Hemato-Onco, está sendo criado pelos enfermeiros um jogo chamado Jogo dos Pares. Eles montaram o jogo (parte teórica e contexto) e levaram para o NEPS fazer a adaptação. O jogo irá abordar o uso correto de medicação, protocolos, conceitos básicos, patologias e urgência e emergência.

Imagens: