Notícias Notícias

Voltar

HUSM fará parte do Projeto Lean nas Emergências, que propõe melhoria no atendimento da principal porta de entrada: o Pronto-Socorro

Agilidade e eficiência

HUSM fará parte do Projeto Lean nas Emergências, que propõe melhoria no atendimento da principal porta de entrada: o Pronto-Socorro

A superlotação é um fenômeno mundial que aumenta a mortalidade nas urgências e emergências dos hospitais. Com o objetivo de reduzir a superlotação e melhorar o atendimento de hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Sírio Libanês (SP) criou, em agosto de 2017, o Projeto "Lean nas Emergências". Nos dias 20 e 21 de dezembro, o Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) recebeu a visita diagnóstica de um profissional do hospital paulista e irá integrar o projeto para o triênio 2018 a 2020.

O Pronto-Socorro é a principal porta de entrada do hospital. Cerca de 85% dos pacientes internados, chegam pelo PS. O projeto Lean quer reduzir o tempo de permanência desses pacientes nos hospitais, evitando dessa maneira perda de vidas, de materiais e otimizando o tempo dos profissionais envolvidos na assistência. Para proporcionar a alta segura ao paciente, a melhora na gestão do tempo e a economia no uso de insumos, será preciso reestruturar o serviço. O Lean junto com as ações de infraestrutura, equipamentos e recursos humanos apresenta-se como ferramenta de melhoria.

- Um dos objetivos é racionalizar as entradas através da implantação de melhorias para garantir agilidade e eficiência nos fluxos e processos. O foco será a necessidade do paciente. Ao mesmo tempo, iremos diminuir o retrabalho, reduzindo assim o desgaste da equipe e aumentando a eficiência do atendimento prestado – afirma o médico Humberto Palma, diretor Clínico do HUSM.

Durante as reuniões, realizadas no Laboratório de Habilidades, o engenheiro de processo do Hospital Sírio Libanês, Felipe Pinheiro Machado, apresentou o projeto à superintendência do HUSM e às chefias da Divisão de Apoio Diagnóstico e Terapêutico, Divisão de Gestão do Cuidado, Divisão Médica, Setor de Urgência e Emergência, Núcleo de Vigilância do Paciente, Núcleo de Gestão de Alta, Núcleo Interno de Regulação, Setor de Regulação e Avaliação em Saúde.

O próximo passo será o treinamento de oito pessoas, durante dois dias, no Hospital Sírio Libanês (SP) para apresentação da metodologia Lean.

A fase de intervenção dura em média seis meses e prevê visitas quinzenais, com duração de dois dias, de um médico e um especialista em processos.

Após o término desse período, a equipe de controle do projeto acompanhará os resultados por mais 12 meses, para garantir a manutenção a longo prazo das melhorias introduzidas nas unidades. 

Ao final de 2020, fim do triênio, a meta é chegar a 100 serviços de emergência com o Lean, mais de 450 profissionais treinados e 180 protocolos clínicos nos serviços de emergência implementados no país.

O Sistema Lean, que pode ser traduzido como produção enxuta, é uma metodologia japonesa que, após a Segunda Guerra mundial, chegou ao ocidente e foi utilizada em praticamente todos os setores produtivos. A partir da década de 90, houve uma adaptação para utilização na área da Saúde com impactos muito positivos.

Imagens: