Notícias Notícias

Voltar

Controle interno entra em nova etapa no Hospital Universitário de Santa Maria

Ferramenta de Gestão

Controle interno entra em nova etapa no Hospital Universitário de Santa Maria

Incorporada das práticas de gestão da iniciativa privada, o Controle Interno é uma ferramenta que vem sendo utilizada pelo Governo Federal para garantir a conformidade e eficiência dos gastos com o serviço público. Uma instrução normativa de 2016, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Controladoria-Geral da União, dispõe sobre a obrigatoriedade do Controle Interno e gestão de risco de governança nos órgãos do Poder Executivo Federal. As empresas públicas estão aderindo a obrigatoriedade. Criada em setembro de 2019, a Comissão de Controle Interno do Hospital Universitário de Santa Maria, entrará em uma nova para implantação da normativa e conta com a colaboração de todos os funcionários e servidores já a partir desse mês de janeiro.

Mas afinal sobre o que estamos falando quando tratamos de Controle interno? O conceito é amplo e engloba desde o controle de gestão até o controle contábil e fiscal. Por isso é uma tarefa árdua, apesar de necessária. A equipe do Controle Interno irá capacitar os servidores e funcionários para montarem a matriz ou o mapa de risco de todos os setores. Todos terão de identificar os riscos a que estão expostos. Desde o não cumprimento de um prazo para entrega de equipamento até a possível falta de medicamento, devido à alta demanda em virtude de um surto, por exemplo.

A partir dessa análise, será possível aos gestores elaborarem planos de ação preventivos, que reforcem ou criem controles internos para que esse risco não venha se concretizar. O trabalho conjunto entre as chefias e o Controle Interno envolve a identificação de todas as situações que possam representar riscos operacionais, legais, de imagem ou financeiros ao hospital.

A Comissão Interna irá passar orientações e formulários padronizados que serão preenchidos pelos setores/serviços/unidades. Cada um fará seu próprio gerenciamento de riscos. Essa ferramenta irá contribuir para melhorar a gestão hospitalar. O projeto piloto irá iniciar pelo Setor de Contratos do HUSM.

- Quando o hospital contrata um serviço ou produto/equipamento, há risco de a empresa falir, de não entregar a mercadoria, de atrasar. Temos que ter um plano de ação para não ser pego de surpresa em cada uma dessas situações, caso ocorram – exemplifica o economista e advogado Wilson Jesus Pinto Paródia, integrante da Comissão.

Paralelo a esse Raio-X dos possíveis riscos da instituição e planos de ação para evitar que se concretizem, também é função do Controle Interno auxiliar a superintendência a responder as demandas que chegam dos órgãos de controle externo, como Ministério Público Federal, Corregedoria Geral da União e da própria Ebserh e Tribunal de Contas da União.

- O controle interno irá identificar a qual setor pertence ao problema apresentado, identificar a chefia e encaminhar via SEI para que o responsável dê a resposta. Tudo tem prazo. Não responder no prazo, afeta a credibilidade da instituição diante desses órgãos – explica Paródia.

Ainda no mês de janeiro, as chefias receberão as demandas, os prazos, as normas para seguirem e a quem se reportar em caso de resposta imediata aos órgãos de controle externo.

- O Controle Interno é um avanço para o HUSM, permite identificar problemas antes que os mesmos ocorram. Oferece grande apoio e segurança para a gestão, visto que integra áreas como planejamento estratégico, auditoria e gerenciamento de riscos institucionais. – afirma a superintendente do hospital, Elaine Resener.

 

O que fazem

Auditoria – A Auditoria Interna da Ebserh é uma atividade Independente, de avaliação e assessoramento aos gestores da entidade. Atual com total isenção, independência e imparcialidade em relação aos gestores locais. Cada hospital mantém uma Unidade de Auditoria Interna. O papel da Auditoria é levantar o problema e apontar para os gestores exigindo melhorias.

Controle interno- O Controle interno atua em parceria com a gestão local. Tem autonomia para fazer os próprios apontamentos de riscos iminentes, questionar e buscar junto com os gestores uma forma de resolução.

Além disso, também cabe ao Controle Interno reunir os apontamentos realizados pela Auditoria Interna e os órgãos de Controle Externo e cobrar prazos de resposta junto aos gestores do HUSM.

 

FONTE: Auditoria e Controle Interno do HUSM