Notícias Notícias

Voltar

Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh sedia workshop regional sobre segurança do paciente

REDUÇÃO DE INFECÇÕES EM UTI

Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh sedia workshop regional sobre segurança do paciente

Atenção, 1.715 infecções e 558 mortes evitadas! Esses são alguns dos resultados alcançados pelo Projeto Proadi-SUS Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil apresentados no II Workshop Ceará sobre esta iniciativa, que tem como um de seus propósitos reduzir infecções em UTIs. Além do Hospital Universitário Walter Cantídio e da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, que sediaram o evento ontem e hoje (12), participaram representantes das outras seis unidades de saúde que formam a regional Ceará – Instituto Dr. José Frota, Hospital Geral de Fortaleza, Hospital Geral Dr. César Cals, Hospital Geral Waldemar de Alcântara, Hospital Regional Norte e Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes.

Em dois dias intensos e com plateia cheia, o workshop apresentou dados importantes sobre o desempenho dos hospitais nos três tipos de infecções avaliados no projeto: infecção do trato urinário (ITU), infecção primária de corrente sanguínea laboratorial (IPCSL) e pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV). Os 24 hospitais liderados pelo Hospital do Coração de São Paulo (HCor), entre eles os oito cearenses, apresentaram 40%, 24% e 18% de redução nesses indicadores, respectivamente. A meta é reduzir em 50% a incidência de cada uma dessas infecções até 2020.

O Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, também apresentaram redução em indicadores. O grande destaque do HUWC foi a redução em 53% das infecções relacionados à ventilação mecânica. A MEAC, por sua vez, conseguiu reduzir em 100% as infecções do trato urinário. “No geral, os hospitais do Ceará estão muito bem. Em alguns casos, há unidades que já atingiram a meta. E se conseguiu para uma infecção, naturalmente vai conseguir para as outras. O importante mesmo é mudar o modelo mental. Fazer diferente. Focar nos processos”, disse Andrea Gushken, coordenadora do HUB do Hospital do Coração de São Paulo.

Na avaliação de Paula Tuma, coordenadora do HUB do Hospital Israelita Albert Einstein, os dados apresentados foram “espetaculares”. Ela também destacou a importância de eventos como o ocorrido no Ceará. “A gente aprende muito quando está compartilhando experiências. Isso dá mais motivação, mais ideias de mudança”, disse. Cerca de 120 pessoas participaram do workshop nos dois dias de evento. “Como microbiologista por formação, o tema das infecções me instiga de uma forma especial. Temos aprendido muito com todas as experiências compartilhadas aqui. Foi uma honra sediar este evento”, afirmou o Professor Luciano Moreira. Superintendente do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh.

Além dos hospitais do Ceará, marcaram presença representantes de outros estados, como Sergipe, Alagoas e Paraíba, coordenados pelo Hospital Albert Einstein. A enfermeira e líder de projeto, Sandra de Lourdes, do Hospital Municipal Santa Isabel, de João Pessoa (PB), era só elogios à iniciativa. “Como é bom ver que, de uma forma geral, os hospitais estão conseguindo reduzir as infecções. É um movimento de melhoria que a gente não esperava. A nossa expectativa não era tão alta. Reduzir as infecções em 50% já era uma meta alta, agora imagina reduzir em 100, como algumas unidades já conseguiram? Ou seja, é possível para todos nós. Mudar a cultura é fundamental”, comentou Sandra.

No primeiro dia de evento, além da apresentação dos resultados do projeto, houve mesa-redonda sobre liderança de alto impacto e compartilhamento de experiências com colaboradores, pacientes e familiares. A programação seguiu nesta sexta-feira (12), com análise de casos, simulações realísticas e implementação das melhorias de processos de prevenção.

Saiba mais sobre a Colaborativa

O Projeto Colaborativo faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS) em parceria com os cinco hospitais de excelência, que são: Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e o Hospital Moinhos de Vento (RS), que lideram grupos de hospitais (hubs).  

Tem como objetivo orientar os profissionais de saúde dos 119 hospitais públicos participantes, que prestam serviço para o SUS, quanto às melhores práticas para o cuidado do paciente. Participa, ainda, do projeto o Institute for Healthcare Improvement (IHI), que tem como referência a melhor prática de saúde para o paciente aplicada no mundo inteiro.

O Hub do Ceará concentra oito hospitais, sendo o maior grupo liderado pelo HCor. O Hospital do Coração de São Paulo lidera outros 16 hospitais em quatro outros estados.

Sobre a Ebserh

O Complexo Hospitalar da UFC faz parte da Rede Hospitalar Ebserh desde novembro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Os hospitais universitários são, por sua natureza educacional, campos de formação de profissionais de saúde. A Rede Hospitalar Ebserh não é responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país, apenas atua de forma complementar ao SUS.

Para acessar a galeria de imagens do evento, clique aqui.